Arnold Schwarzenegger substitui válvula no coração

808

Arnold Schwarzenegger, de 73 anos, revelou ontem aos seus seguidores no Instagram que foi submetido a uma segunda cirurgia para substituir a válvula aórtica do coração. A primeira foi feita em 1997.

No post, o astro afirmou que está bem e que até já saiu do hospital para caminhar pela região. “Obrigado à equipe do Cleveland Clinic, eu tenho uma nova válvula aórtica para combinar com a minha nova válvula pulmonar da minha última cirurgia. Eu estou fantástico e já dei uma caminhada pelas ruas de Cleveland vendo suas lindas estátuas. Obrigada a todos os médicos e enfermeiros na minha equipe!”.

O que é a válvula aórtica?

No coração nós temos quatro válvulas que funcionam como “portas”, que abrem e fecham para se comunicar com as cavidades, fazendo com que o sangue flua do lado direito e do lado esquerdo.

Uma dessas válvulas é a aórtica. Ela separa o ventrículo esquerdo de uma artéria muito importante chamada artéria aorta, que leva o sangue para todas as células e órgãos do corpo, quando a válvula se abre.

Quando há dificuldade na abertura ou no fechamento dessa válvula, as doenças começam a surgir. “Se ela tem dificuldade de se abrir, essa doença chama-se estenose aórtica. Se ela tem dificuldade de fechar, essa doença chama-se insuficiência aórtica”, diz Marcelo Ferraz Sampaio, cardiologista da BP (A Beneficência Portuguesa de São Paulo).

O especialista explica, ainda, que se a válvula parasse de funcionar totalmente o paciente morreria. Mas, vale ressaltar que, à medida que esses problemas ocorrem continuamente, todo o organismo é prejudicado e os riscos aumentam.

Como é o procedimento da troca da válvula?

Existem duas formas para fazer com que a válvula funcione corretamente. A primeira é a troca por meio de um cateterismo, onde o especialista apenas “gruda” a válvula nova na que não está funcionando, isto é, o paciente fica com a válvula natural e outra de escape que vai ajudar no desempenho de suas funções. Esta cirurgia é minimamente invasiva e quase não há riscos para o paciente.

“Isto se faz para pacientes de alto e médio risco. Então, idosos, pessoas com comorbidades, a gente não faz mais a cirurgia, a gente faz um procedimento que não chega a ser uma troca, é simplesmente um implante de uma válvula nova em cima de uma velha”, explica Sampaio.

O especialista salienta que, no caso de Schwarzenegger, ele fez uma troca cirúrgica convencional para substituir a válvula velha, porque a primeira substituição ocorreu há muitos anos e, por isso, ela deve ter se degenerado.

Mas, em geral, essa cirurgia só é arriscada se o paciente for muito idoso e tiver comorbidades como outras doenças cardiovasculares, no fígado, nos rins, entre outras. Contudo, ela acontece frequentemente nos hospitais brasileiros.

“Em geral, essa doença da válvula é uma doença de pessoas muito idosas e, nessas circunstâncias, você levar uma pessoa idosa para uma cirurgia não é adequado porque dá muitas complicações”, diz Sampaio, e salienta que é necessário fazer a substituição no momento ideal para que a doença não tenha refletido no coração como um todo ou em algum outro órgão do corpo.

Recuperação é rápida

“Os pacientes que fazem o procedimento cirúrgico ficam, em média de dois a três dias na UTI, e de cinco a sete dias no quarto. A partir de vinte e trinta dias já está com uma vida praticamente normal. Já a recuperação do procedimento com cateter é muito mais rápida”, finaliza Sampaio.

Fonte: Portal UOL