“RESSACA ELEITORAL”: Câmara retoma votação de projetos de interesse do Executivo

2360
Foto: Reprodução

O Plenário da Câmara de Vereadores de Vilhena retomou hoje, terça-feira, 17 de novembro, após o primeiro turno das eleições municipais, a votação de projetos de interesse do Poder Executivo. Ao todo, 10 dos 13 atuais vereadores concorreram à reeleição, mas sete deles não garantiram sua permanência.

Reeleito, o presidente Ronildo Macedo (PV) distribuiu elogios aos colegas Samir Ali (Podemos) e Wilson Tabalipa (PV) que também conseguiram se eleger para mais quatro anos. “Parabenizo os que se reelegeram, e aos que não conseguiram deixo meus cumprimentos pelo excelente trabalho que prestaram no mandato”, falou o presidente.

Em tom de crítica, Macedo diz ter sido duramente atacado por opositores políticos durante a campanha eleitoral e reclamou de áudios gravados dentro do seu gabinete e depois divulgados em mídias sociais. O parlamentar ainda se queixou que um irmão foi filmado enquanto fazia campanha. “Tentaram insinuar que ele estava comprando votos, mas vamos tomar medidas legais contra essas ‘pessoas’ que agiram de forma covarde”, disparou o vereador. Ronildo declarou que pretende se casar no ano que vem.

O vereador Adilson de Oliveira (PSB), em tom de despedida, se emocionou ao discursar. Ele lembrou que conseguiu economizar R$ 3,118 milhões do que a Câmara recebe de repasse da prefeitura, no período de 2017 a 2018, quando foi presidente do legislativo. Nos dois anos na presidência, ele promoveu o concurso público e substituiu 55 comissionados por servidores efetivos.

O vereador Carlos Suchi (PODEMOS) disse que a troca na Casa de Leis faz parte da democracia. “Saio com a certeza de dever cumprido. Deixo meu legado, assim como outros colegas”.

No discurso Suchi destacou que a Câmara substituiu servidores comissionados por estatutários: “eles irão cuidar da Casa de Leis e impedir que vereador mal-intencionado tire proveito próprio desta casa”.

Leninha do Povo (PTB) diz que deixará a Câmara com a sensação de dever cumprido.

Num discurso enfático, França Silva (PV) disse “quem vem para a Câmara não tem cargo vitalício. Aos que vão ficar desejo que continuem com o bom trabalho que estão fazendo. Aos que vão chegar, lembro que não cabe mais qualquer formato da velha política. Não há mais espaço para corrupção nesta Casa de Leis”. França parabenizou a reeleição do prefeito Eduardo Japonês (PV).

Assista a íntegra dos discursos: