Classe D: dia de paralisação garante continuidade do auxílio por pelo menos 2 meses

Servidores ainda lutam pelo reajuste salarial.

1229

Não era o que os servidores esperavam, mas o dia de paralisação dos funcionários públicos que fazem parte da “Classe D” da saúde em Vilhena, rendeu ao menos a garantia do pagamento do complemento no Auxílio Alimentação por mais dois meses. Até então, a complementação salarial acabaria no final do próximo mês. Com o acordo de hoje, se estenderá até o mês de novembro.

A manifestação de hoje teve início por volta das 07h30, ainda na sede do Sindsul – Sindicato dos Servidores Municipais do Cone Sul de Rondônia – e de lá seguiu até a Câmara de Vereadores. Na Casa de Leis, manifestantes empunharam seus cartazes e faixas cobrando dos vereadores apoio sobre a situação salarial devastada da classe.

Apesar do apoio na tribuna, apenas três dos edis foram até a reunião aconteceu em sequência, já no gabinete do prefeito Flori Cordeiro (Podemos).

Os manifestantes aguardaram cerca de uma hora e meia até adentrarem o gabinete, onde foram recebidos pelo mandatário. O discurso da administração ainda é o mesmo de outras reuniões “O índice de Folha não permite” e “que está proibido de fazer reajuste salarias”, o que é de fato a briga desta categoria.

Em meio a infeliz fala do vice-prefeito, que disse em tom desprezível que o “Hospital Regional era um matadouro pouco tempo atrás”, as partes chegaram a um acordo.

A continuidade até o mês de novembro da complementação no Auxílio Alimentação dos servidores “Classe D”, que são esses;
Fonoaudiólogos, Fisioterapeutas, Farmacêuticos, Enfermeiros, Bioquímicos, Biomédicos, Cirurgião Dentistas, Assistente Sociais, Educador Físicos, Nutricionistas, Psicólogos e Terapeuta Ocupacional.

Vale lembrar que o grupo não teve seu reajuste salarial aplicado.

O grupo retoma suas atividades no dia de amanhã.