Candidato à presidência da Asmuv não prestou conta em ação judicial; montante da dívida é de mais de meio milhão

Réu se manteve inerte e terá de acatar apresentação por parte da atual administração.

3660

Mesmo depois de condenado em primeira instância a prestar contas de seus últimos quatro anos de presidência a frente da Asmuv, Luiz Lacerda, que hoje é candidato mais uma vez à presidência da Asmuv, manteve-se inerte e não cumpriu a determinação judicial que lhe foi imposta.

De acordo com a primeira decisão, (Clique aqui para ler) caso não apresentasse documentação legal que provasse o destino das movimentações financeiras dentro de 60 dias, Luiz não poderia contestar os documentos que a atual administração exibisse. E assim foi feito.

Os autores do Processo Judicial, juntaram documentos onde descreviam os montantes, apontou os beneficiários e ainda as formas de pagamentos. Os valores que chegam a exorbitantes R$ 507. 405, 98 (Quinhentos e sete mil, quatrocentos e cinco reais e noventa e oito centavos) foram gastos de diversas formas. Ora eram feitos depósitos na conta pessoal do ex-presidente, ora na conta da ex-secretária administrativa da entidade e até na de seu esposo e filho. Além de cheques para contas de terceiros que não forneciam nenhum tipo de serviços, produtos ou que tinham vínculo jurídico com a Associação.

A parte jurídica da Asmuv já enviou os documentos, que passarão a constar nos autos do processo e agora aguarda a homologação do Juiz. Caso sejam acatados, Lacerda passará a ser devedor do montante apresentado.

Em 2017, quando perdeu a eleição, o ex-presidente se negou a entregar as chaves da associação. (Relembre aqui). A nova diretoria só conseguiu tomar posse de fato, depois de ação judicial.
Lacerda chegou a convocar uma nova eleição, onde só seu próprio nome constava como concorrente ao cargo, mas a eleição ilegal foi barrada. (Relembre aqui)