Após decisão judicial, Júnior Gonçalves retorna à Casa Civil em Rondônia

A decisão foi homologada no início da tarde desta quarta-feira (9)

304

O desembargador Roosevelt Queiroz Costa, recém sorteado para relatar as denúncias de corrupção apuradas pela Operação Propagare II, revogou a cautelar do ex-chefe da Casa Civil, Junior Gonçalves, permitindo o seu retorno ao cargo. O magistrado manteve a proibição do agente político manter conversações com testemunhas e demais implicados nas investigações. Ele não pode, por exemplo, conversar com servidores da Superintendência Estadual de Comunicação (Secom), onde o contrato de licitação de agência de publicidade no valor de R$ 24 milhões está sob investigação. “Mas é possível ao Requerente o contato com servidores que compõe o Poder Executivo estadual e que seja necessário ao exercício do seu mister no cargo que ocupa”, diz parte da decisão, cujo processo está em segredo de Justiça. Gonçalves entrou com pedido de reconsideração da decisão prolatada pelo ex-relator, desembargador Gilberto Barbosa, que saiu do caso alegando “suspeição”.