725

I Desafio Internacional de Kickboxing em RO surpreende público por alto nível técnico e estrutura de eventos mundiais

O ginásio Claudio Coutinho foi o local escolhido para a grande noite do kickboxing em Rondônia

Uma estrutura a altura de grandes competições mundiais.No ringue, atletas de elevado nível técnico, e na arquibancada, um público orgulhoso de Rondônia sediar o primeiro Desafio Internacional de Kickboxing. O evento realizado na noite de sábado (2), no ginásio Claudio Coutinho, em Porto Velho, surpreendeu competidores e o público.

O clima de euforia e satisfação tomou conta da arquibancada. Teve até ola. O público vibrou, gritou e torceu a cada novo combate. E os atletas responderam a altura das expectativas, inclusive levando os adversários a nocaute nos primeiros rounds. Foram ao todo 14 embates, desses oito na categoria card principal, valendo cinturão.

O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, acompanhado da família, assistiu as lutas atentamente e vibrou a cada gesto de respeito e reconhecimento dos vencedores ao bom desempenho dos oponentes. Reforçou os aplausos a cada vez que os atletas já no limite das forças mostravam garra e voltavam ao combate.

Publicidade


‘‘Isso mostra que a gente pode sim trazer grandes eventos para Rondônia. Quando os organizadores solicitaram apoio ao governo de Rondônia para ceder o ginásio Claudio Coutinho e ajuda na divulgação do evento de pronto nós aceitamos. É a primeira vez que Rondônia recebe um evento nesta magnitude, e esse e só o primeiro de muitos que virão. Isso é desenvolvimento para o Estado’’, garante o governador.

COMBATES

Jogo de luz, fumaça, música e entradas triunfantes dos atletas no ringue, acompanhados da vibração da torcida, deram o tom dos combates que envolveram lutadores de Rondônia, Acre, Mato Grosso e Bolívia. A estreia do desafio foi protagonizada pelos atletas Robert Borges (Ariquemes) e Wesley Marcião (Porto Velho).

Robert consagrou-se como primeiro campeão da noite do super fight K1 75 kg. ‘‘Estou muito feliz por ter ganhado e por esse evento porque para os atletas como eu que só vê lutas como essas acontecendo no sudeste, especialmente em São Paulo, e agora vê acontecer aqui em Rondônia estimula a gente a querer crescer, e lutar melhor ainda’’, afirma.

As representantes femininas da competição, Gabriela Camilo e Luciana Silva, protagonizaram uma luta impressionante. Gabriela levou a adversária a nocaute e conquistou o cinturão do super fight K1 61 kg.
‘‘Que luta! Nem eu estou acreditando nesse nocaute. Esse cinturão representa tudo que passei para representa o boxe feminino. E esse é um evento ótimo para dar visibilidade aos atletas de Rondônia porque tínhamos que viajar para fora para participar de competições assim’’, pontua.

E a grande expectativa da noite foi o duelo entre Emerson Nenem, representando Porto Velho, e o boliviano Miguel ‘‘El Cirujano’’ que disputaram o cinturão da categoria super fight k1 75kg, conquistado por Emerson no primeiro round.

‘‘Foi uma excelente iniciativa do governo do Estado apoiar esse evento, nós atletas precisamos disso. Nos sentimos valorizados. Eu que participei de várias competições considero que essa aqui não está deixando nada a desejar pela organização e estrutura de primeiro mundo’’, afirma o atleta.

PÚBLICO

Na arquibancada, um público diverso, de crianças a idosos. As famílias rondonienses prestigiaram com alegria o grande evento de lutas. O casal Glauber Borges, 30 anos, e Sabrina Santana, 28 anos, que chegaram a praticar juntos por três meses taekwondo, comemoravam a oportunidade de acompanhar um evento considerado por eles como ‘‘de alto nível’’.

Casados, os funcionários públicos e esportistas Radiclei e Leda Carvalho, ambos com 46 anos, revelaram a satisfação com o evento. ‘‘Foi um evento padrão e muito bonito. Rondônia tem que ter esse tipo de evento para envolver a juventude com esporte’’, considera. ‘‘Quando soube do evento já decidi que tínhamos que prestigiar. Chegamos cedo, escolhemos os melhores lugares para acompanhar as lutas. Eu amo Rondônia e é um privilégio está aqui’’, conta Leda que assim como marido é praticante de jiu-jitsu.

Se na arquibancada, tinha muita gente amante das artes marciais, também tinha aqueles que pouco acompanham a modalidade, mas compareceram ao evento por um motivo especial. Foi o caso da aposentada Nair Marcelino, 65 anos, que torcia pelo sobrinho Lucas Antunes, um dos competidores.
O evento deu a oportunidade para que a população conhecesse mais sobre a modalidade e também se apaixonasse pelas artes marciais. Mas um sentimento foi o unanime entre o público, a felicidade proporcionada pelo grande desafio internacional ser realizado no Estado.

ORGANIZAÇÃO

E não foi só o público que ficou orgulhoso do desafio, os organizadores também ficaram orgulhosos do público rondoniense e prometem eventos ainda maiores nas próximas edições. ‘‘Esse é um evento ímpar para mostrar a força do Norte do país e que Rondônia é um estado com potencial para realizar grandes eventos como esse. Foi um show de lutas e a nossa expectativa a partir de agora é trazer para cá por mais vezes no ano eventos desse porte, e estimular as artes marciais, afinal esporte é inclusão social, esporte é vida’’, considera  o organizador Sandro Rocha.

‘‘A ideia desse evento é revelar novos talentos para o cenário nacional e internacional. Reunimos aqui o melhor do Kickboxing da região Norte. Tivemos uma ótima receptividade dos atletas e esse evento é um divisor de águas para Rondônia, elevando o patamar dos eventos esportivos no Estado para bater de frente com grandes capitais’’, garante o organizador Júnior Oliveira.

Faixa preta em karatê,  o governador também vê nas artes marciais e no esporte de forma geral, oportunidade para recuperação e inclusão social da juventude rondoniense. ‘‘O Kickboxing é uma luta muito bonita, é um boxe que também usa as pernas. Eu que sou atleta de karatê respeito todas as modalidades esportivas e peço aos jovens que se apegue a um dos esportes. Encontre aquele que se adeque. Vamos elevar o nosso Estado’’.

Mais que um hobby, para Marcos Rocha, o esporte ajuda a formar cidadão de bom caráter. ‘‘Eu gosto muito das artes marciais pela filosofia. Muitos pensam que quem entra para as artes marciais acabam se tornando violentos, mas é o contrário. Eu pratico desde os 10 anos e nunca me envolvi com brigas’’, pontua.

Também apaixonados pelas artes marciais, os atletas Robert Borges, Emerson Neném e Gabriela Camilo fazem coro a mensagem de que esporte proporciona muitos benefícios na vida dos jovens. ‘‘Depois que você treina e percebe que é apaixonado por isso, não consegue mais parar’’, finalizou Robert.

O evento foi assistido não só pelo público presente, mas por todos aqueles que acompanharam a transmissão ao vivo por TV para todo Estado e pelo YouTube para todo o planeta. Rondônia fechou o evento ganhando de nocaute com a criação de um novo cenário onde o incentivo ao esporte assume o pódio e leva o cinturão da grande luta por um Estado de qualidade para a população.

Fonte:http://www.rondonia.ro.gov.br/primeiro-desafio-internacional-de-kickboxing-em-rondonia-surpreende-publico-pelo-alto-nivel-tecnico-e-estrutura-com-padrao-de-grandes-eventos-mundiais/

Comentários