Polícia indicia dois por tentativa de homicídio contra comerciante de Vilhena

Mandante do crime e autor dos disparos já estão presos.

3060
Comerciante Adenilto Tenório foi baleado no pé e perna e sobreviveu. – Foto: Renato Spagnol

A Polícia Civil de Vilhena concluiu nesse mês de fevereiro o inquérito da tentativa de homicídio ocorrida em 15 de dezembro do ano passado contra o comerciante Adenilto Tenório, proprietário de um açougue na avenida Melvin Jones, em Vilhena. O comerciante foi baleado no pé e na perna, mas sobreviveu.

Duas pessoas foram indiciadas por homicídio tentado. Os suspeitos, que já estão presos, foram denunciados pelo Ministério Público (MP) e devem se tornar réus pelo crime.

Desdobramento do caso

Delegado Polícia Civil, Nubio Lopes de Oliveira, apresentou os detalhes da investigaçõe em coletiva de imprensa nessa sexta-feira, 26. – Foto: Renato Spagnol

Em coletiva de imprensa realizada esta sexta-feira, 26 de fevereiro, o delegado de Polícia Civil, Nubio Lopes de Oliveira, disse que quando os policiais chegaram no Hospital Regional para ouvir Adenilto Tenório, que havia sido socorrido até a unidade pelos bombeiros, foram informados pela direção do hospital que uma moça havia dado entrada no pronto-socorro com um tiro no pé. A bala foi retirada do corpo da vítima e foi entregue para a polícia.

A jovem foi ouvida e contou à polícia que passava na frente do açougue quando aconteceram os disparos contra o comerciante. A versão dela levantou suspeitas, pois imagens das câmeras de segurança do comércio e o laudo do perito apontaram que os tiros foram dados numa única direção, de fora para dentro do açougue. Assim, a jovem não teria como ser alvejada quando passava na rua.

A polícia também notou nas imagens que durante os disparos nenhuma pessoa passava em frente docomércio e nem mesmo nas imediações.

Exame balístico

Dentro do comércio a perícia recolheu diversos projéteis. Eles foram confrontados através de exame balístico com a bala retirada do pé da jovem. “Com o resultado da perícia descobrimos que os tiros que acertaram o comerciante e a jovem sairam da mesma arma”, detalhou Nubio Lopes.

Com a descoberta, os investigadores buscaram informações sobre a jovem baleada e descobriram que ela foi alvejada no mesmo dia que o comerciante, e pelo próprio namorado. Ao levantar informações da vida da moça, a polícia chegou até a identidade do suspeito Lucas dos Santos Pires, namorado dela, e concluiu que ele atirou no comerciante a mando de um homem identificado pelas iniciais C. E. da C. C. conhecido no mundo do crime pela alcunha “Baleia Rosa”.

Ao ser chamada para prestar depoimento, a jovem revelou que o tiro no pé dado pelo namorado Lucas foi acidental, e dentro de casa.

Lucas dos Santos foi preso no início de janeiro em Cerejeiras. O Vilhena Notícias divulgou a prisão dele. (Veja no link abaixo.)

O mandante do crime, Baleia Rosa, foi capturado logo depois da prisão de Lucas. Os dois estão presos preventivamente. A motivação do atentado não ficou totalmente esclarecida para polícia, mas o crime estaria relacionado a um acerto de contas entre Baleia Rosa e o dono do açougue, que também tem passagens por diversos crimes.