Homem que matou sitiante por causa de mesa de sinuca é indiciado por homicídio qualificado, diz delegado

Suspeito também irá responder criminalmente por tentativa de homicídio simples

728
Delegado Nubio Lopes de Oliveira comandou a investigação sobre o caso. (Foto: Renato Spagnol)

A Polícia Civil de Vilhena indiciou por homicídio qualificado um homem de 41 anos que matou a facadas um sitiante no Assentamento Maranatá em Chupinguaia, em 2019. De acordo com o delegado Nubio Lopes de Oliveira, da esquadra de homicídios,  o suspeito também será denunciado por tentativa de homicídio simples. Segundo a polícia, um homem de 28 anos que tentou impedir que o sitiante fosse morto foi ferido de raspão por um corte de faca no barriga. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira, 27 de fevereiro.

O crime aconteceu na Linha 135 no dia 24 de novembro. A vítima, Valmir Alves de 35 anos, estava sentada na borda de uma mesa de sinuca quando foi morta. No local, várias pessoas estavam reunidas para ver a final da Copa Libertadores. Segundo a polícia, o suspeito se irritou porque o sitiante estava ocupando a mesa sem jogar. Houve uma discussão com troca de insultos que logo se transformou em empurrões.

Na briga o agricultor levou uma facada no coração e morreu antes de ser socorrido a um hospital. Dois dias após o crime o suspeito se apresentou na delegacia em Vilhena. No depoimento ele disse que a confusão começou quando a vítima se negou a descer da mesa de sinuca para que ele e outro amigo jogassem uma partida. No testemunho, o suspeito ainda alegou que deu a facada letal após ser segurado por outro homem. A versão dele contradiz com o depoimento de testemunhas.

Segundo a polícia, o suspeito teria dado a facada quando a situação já estava apaziguada.  “Ele pegou o sitiante de surpresa”, revelou o delegado.

Atualmente o agressor está preso e aguarda julgamento.