PMs são agredidos ao reprimir festa clandestina em Rondônia

Cerca de 20 pessoas estavam ingerindo bebidas alcoólicas em uma residência. Segundo o delegado de Polícia Civil, Derli Gouveia, todos responderão por infringir determinação do poder público.

1920
Envolvidos foram encaminhados à Unisp de Ji-Paraná — Foto: Gedeon Miranda/Rede Amazônica

Policiais militares foram agredidos enquanto tentavam dispersar pessoas de uma festa clandestina em Ji-Paraná, na área central de Rondônia. Evento aconteceu no último fim de semana quando a cidade chegou a 556 casos do novo coronavírus e 12 mortes, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

Conforme o boletim de ocorrência, após uma denúncia anônima os agentes foram ao bairro Bela Vista e encontraram cerca de 20 pessoas consumindo bebidas alcoólicas em uma residência. Seis crianças também foram vistas na casa.

Ainda de acordo com o registro, policiais solicitaram que o proprietário do local se apresentasse, mas ele não quis conversar. Ao entrarem na residência, os PMs dizem que foram agredidos por esse proprietário e por demais participantes da festa clandestina.

Um PM ficou ferido na boca, mas não precisou de atendimento hospitalar.

Publicidade


Os envolvidos foram encaminhados à Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp) para prestar depoimento e segundo o delegado de Polícia Civil, Derli Gouveia, todos responderão por infringir determinação do poder público.

GOVERNADOR DESAUTORIZA PM DE REALIZAR PRISÕES

O ataque contra os militares ocorreu cerca de um mês depois que o governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, desautorizou a Polícia Militar a realizar detenções de pessoas que descumprem decretos que estabelecem medidas de enfrentamento à covid-19 no estado. O posicionamento do alcaide foi provocado após o coordenador de policiamento operacional, coronel Fábio Alexandre Santos França, informar à imprensa, no dia 8 de junho, que a fase de orientações tinha terminado e que a PM iria adotar medidas severas, inclusive detenções, de pessoas que descumprissem as medidas de isolamento social.

As duas afirmações diziam respeito à decretação de lockdown em Porto Velho e Candeias do Jamari. No entanto, a postura do govenador pode ter estimulado pessoas de outras cidades a desrespeitarem decretos que estabelecem medidas de enfrentamento à covid-19 no estado.

 

Fonte: Com informações do portal G1

Comentários