Polícia Civil investiga ataques contra policiais penais em Vilhena

Imóvel comercial de policiais penais foi atingido por ao menos dois tiros, segundo a PM. Ninguém foi preso pelo ataque ou pelo assassinado de servidor da Sejus.

3252
Foto: Arquivo

A Polícia Civil está investigando um ataque contra uma loja de dois servidores do Sistema Penal em Vilhena. O crime aconteceu horas depois do policial penal André Borges Mendes ser assassinado a tiros em um posto de combustível.

Segundo relato dos servidores à polícia, na segunda-feira (10) eles foram abrir o estabelecimento comercial, na Avenida Jô Sato, quando perceberam que a porta do local havia sido atingida por disparo de arma de fogo.

Uma guarnição da Polícia Militar (PM) foi até a loja e constatou ao menos dois disparos efetuados contra a porta do comércio. Os fragmentos da munição aparentavam ser de calibre .38.

Aos policiais, os servidores do Sistema Penal afirmaram que não sofreram ameaças, assim como nenhum de seus parentes. Eles então registraram boletim de ocorrência e o caso agora é apurado pela Civil.

Assassinato de policial penal

Policial André Borges Mendes foi morto a tiros em Vilhena, RO — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Policial André Borges Mendes foi morto a tiros em Vilhena, RO — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Na noite de domingo, o policial penal André Borges Mendes, de 36 anos, foi executado a tiros em um posto de combustível.

Uma testemunha informou à Polícia Militar (PM) que foi ao posto de gasolina para buscar duas pessoas, quando viu um homem em uma bicicleta azul efetuando diversos disparos de arma de fogo contra André. E um dos tiros atingiu o pé de uma adolescente de 16 anos que também estava no local.

André morreu após levar três tiros nas costas. Segundo a Polícia Civil, o caso é investigado de forma sigilosa e nenhum suspeito foi preso pelo homicídio até esta terça-feira (11).

Fonte: As informações são do portal G1