Polícia Civil recebe denúncia contra empresa de consórcio em Vilhena

2808
Imagem ilustrativa

Uma mulher 25 anos procurou a Polícia Civil nesta desta terça-feira, 28 de julho, para denunciar operações da JL Assessoria Financeira, uma empresa com sede em Vilhena que atua no ramo de consórcios e seguros.

A mulher diz que fechou um contrato de consórcio com a empresa e deu R$ 10 mil de lance sob a promessa que teria sua carta de crédito liberada em 72 horas. Isso não aconteceu, afirma a vítima. Ela diz que procurou a empresa e pediu a devolução do valor dado no lance, porém, a empresa negou restituir o dinheiro.

O caso lembra às denúncias contra a Multimarcas Consórcios, no ano de 2019. Na época, a Polícia Civil abriu procedimento para investigar as práticas da empresa e a Multimarcas deixou de operar na cidade. Mais de 20 consorciados registraram queixas contra a empresa na polícia. O proprietário era Jefferson Danilo Gomes Lourenção, que também aparece como dono da JL Assessoria Financeira.

Em anúncios na internet, a empresa informa que presta assessoria financeira e opera com consórcios para Carro, Moto, Caminhões, Imóveis e seguro veicular.

Publicidade


A reportagem ligou para a empresa e não encontrou Jefferson Lourenção. A reportagem deixou contato, mas não houve retorno.

Avaliação negativa no Reclame Aqui

Em uma rápida pesquisa no portal Reclame Aqui na internet o Vilhena Notícias encontrou dezenas de queixas contra a JL empresa nos últimos 12 meses. As reclamações têm origens de vários Estados, onde a empresa possui representantes.

Consórcio Embracom faz alerta

A venda de uma carta já contemplada é uma operação autorizada pela legislação brasileira, mas que deve ser feita com muito cuidado. Alguns golpistas oferecem cartas de crédito já contempladas.

A vítima é levada a acreditar que, pagando uma comissão, vai entrar em um consórcio já sorteado, saindo com a carta em mãos para adquirir o bem. Depois de receber documentos que comprovariam o sorteio, faz o pagamento da taxa de transferência e, mais tarde, descobre que foi enganada.

Como não cair no golpe da carta de crédito contemplada? Bem, a venda de um consórcio contemplado pode ser realizada apenas se um participante do grupo obteve a carta de crédito e deseja sair.

De toda forma, essa operação deve ser autorizada pela empresa organizadora e pode incluir custos adicionais de transferência. Com informações do Consórcio Embracom

Comentários