Polícia Civil conclui inquérito e detalha como descobriu autor de assassinato, ocorrido em 2015, em Vilhena

Laudo balístico revelou identidade do assassino

5732
Vítima dirigia automóvel quando foi baleada. (Foto: Renato Spagnol)

A Polícia Civil de Vilhena concluiu agora em 2020 as investigações que elucidaram o crime de homicídio que vitimou Luciano Ferreira da Conceição, de 24 anos, na área central da cidade no dia 8 de agosto de 2015.

Foi apurado que, na data do crime, dois homens em uma motocicleta efetuaram disparos de arma de fogo contra a vítima, que dirigia um automóvel Chevrolet Corsa, de cor rosa, na avenida Marechal Rondon. A investigação apontou que Luciano primeiramente foi baleado no braço, perdeu o controle da direção do carro e bateu de frente contra uma árvore no canteiro da avenida. Depois, os executores efetuaram mais quatro disparos. A vítima foi socorrida e levada para o Hospital Regional, mas não resistiu e morreu horas depois.

De acordo com o delegado Nubio Lopes de Oliveira, titular da Delegacia Especializada na Repressão de Crimes Contra a Vida, a apuração investigativa apontou que a motivação do homicídio estaria relacionada a desavenças anteriores por dívida de drogas da vítima com os executores.

Dessa maneira, um homem de 28 anos de idade, apontado como a pessoa que fez os disparos, foi indiciado pelo crime de homicídio qualificado. O inquérito foi encaminhado ao Poder Judiciário para as providências que se fizerem necessárias. O indiciado, de iniciais S. D. S. P. responde ao processo em liberdade. De acordo com o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO), ele acumula sentença condenatória, 5 anos e 10 meses, em um processo criminal de roubo.

A polícia não conseguiu descobrir quem pilotava a moto no dia do crime.

Polícia detalha como descobriu autor do assassinato

O delegado Nubio Lopes de Oliveira falou sobre o caso nesta terça-feira, 30 de setembro de 2020, e revelou que o assassino de Luciano foi preso no assalto da loja Casa das Bolsas, localizada na rua Costa e Silva, região central da cidade, no dia 10 de outubro de 2015.  Cerca de 2 meses depois do homicídio.

“O indiciado e um comparsa foram presos naquele assalto e com eles foi apreendido um revólver de calibre 38”, explicou o delegado.

A arma achada com os autores do roubo foi enviada ao Instituto de Criminalística e o laudo balístico comprovou que o revólver apreendido com S. D. S. P. é a mesma arma usada para matar Luciano Ferreira da Conceição. O exame balístico confrontou os projéteis retirados do corpo da vítima com os da arma. Segundo a polícia, o outro homem preso no assalto não tem relação com o crime de homicído.