LOCKDOWN: “Estamos fazendo nossa parte, agora está na mão da população”, diz Eduardo Japonês

"Eu faço esse apelo, se protejam e quem pode ficar em casa que fique, não faça festas nem aglomerações"

16457

O prefeito Eduardo Japonês (PV) concedeu uma entrevista ao Vilhena Notícias por telefone na noite desta quinta-feira, 25 de junho. Ele disse que sua gestão fez o que foi possível dentro do âmbito de saúde no combate ao coronavírus, mas que agora, tudo está nas mãos da população, para se evitar um “lockdown” na cidade.

“Estamos vendo os casos aumentarem, as pessoas fazendo festinhas, se reunindo para churrascos, tendo contato sem máscaras e não usando alcool em gel. Lá no hospital temos todas as condições para internações, temos remédios e leitos de UTI. Mas do jeito que parte da população está agindo, nada disso irá ser suficiente”, reclamou o prefeito.

Eduardo disse que teve que “brigar” muito com o conselho municipal da Covid para manter o comércio aberto como está, “Tivemos que brigar bastante com várias autoridades para conseguirmos um consenso para manter nossa economia ativa, por isso, não podemos jogar tudo isso fora por falta de conscientização”, afirmou.

O prefeito e a primeira-dama estão em isolamento após terem sido testados positivo para Covid-19, e devem ficar assim por mais 10 dias. Segundo Eduardo Japonês, ele não ficou com coriza nem dor de garganta, “Eu me sentia cansado, me faltava ar. Eu tive dor de cabeça e um certo mal estar. Essa doença não é brincadeira. Na pior fase, minha saturação de oxigênio chegou a 85%, quando o normal é 98%”, comentou o prefeito.

VERBA PARA SAÚDE

De acordo com Eduardo Japonês a saúde de Vilhena recebeu vários equipamentos de EPI do Governo do Estado. Do ministério da saúde foram enviados R$ 790 mil e mais 1,4 milhão.

“Com falta de recursos para a saúde, acredito que não iremos ter problema. Porém, estamos dependendo da população para contermos a disseminação do vírus. Se as pessoas que não ligam para vírus não querem se cuidar, tudo bem, mas pelo menos pensem nas outras pessoas que podem pegar e morrer. Temos 7 mil idosos na cidade”, ressaltou.

VERBA PARA A QUEDA DE ARRECADAÇÃO

Todos os municípios do país estão sofrendo economicamente com a crise do coronavírus, e o governo federal está enviando uma verba para cada um deles. Para Vilhena chegarão R$ 14 milhões de forma parcelada, que poderão ser usados em qualquer área da cidade.

“Vamos receber algumas verbas que senadores e deputados nos prometeram nesse periodo, mas o governo federal também enviará R$ 14 milhões para que nós possamos alavancar a economia, além de mantermos os serviços da prefeitura em atividade, mesmo com a queda de arrecadação”, explicou Eduardo.

O prefeito encerrou alertando que Vilhena, diferente da capital, pode não precisar passar por um lockdown. Isso acontecerá em Vilhena se 80% dos 36 leitos disponíveis para Covid-19 forem ocupados na cidade.

“É importante que as pessoas se cuidem, tomem todas as medidas sanitárias disponíveis, os comércios também, que dessa forma vamos conseguir manter nossa cidade aberta e o emprego de todos ativos. Eu faço esse apelo, se protejam e quem pode ficar em casa que fique, não faça festas nem aglomerações”, finalizou o prefeito.

Leia também: