Homem que jogou pedra contra para-brisa e matou caminhoneiro é identificado, diz polícia

166

É considerado em status de foragido da Justiça Willians Maciel Dias, vulgo “Javali”, de 32 anos. Para a Polícia Civil foi ele quem jogou a pedra contra o para-brisa do caminhão e matou o caminhoneiro José Batistela, de 70 anos, na tarde de quarta-feira, 30 de maio, próximo a um dos pontos de bloqueio do movimento grevista dos caminhoneiros na cidade de Vilhena.

Em coletiva de imprensa concedida nesta terça-feira, 5, o delegado regional Fábio Campos, e o titular da delegacia de homicídios, Núbio Lopes de Oliveira, disseram que durante as investigações foram coletadas provas cabais e por isso Willians, que também é caminhoneiro, foi indiciado por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

“Ao atirar a pedra contra o para-brisa de um veículo em movimento ele assumiu todos os ricos e por isso o indiciamos por homicídio doloso”, destacou Fábio Campos.

Com o indiciamento a Polícia Civil já representou pela prisão preventiva do suspeito e ele passa a ser um foragido da Justiça. “O advogado do Willians disse que ele irá se apresentar espontaneamente, mas para a Justiça ele já é considerado foragido”, destacou Núbio Lopes.

Ainda segundo Núbio Lopes, outros dois homens são investigados. Um deles estava dirigindo o carro de onde partiu a pedra que matou o caminhoneiro. O veículo, um Volkswagen Gol de placas JYL-6513 que pertence a Willians, foi apreendido na casa do suspeito no Setor 8 nesta manhã.

A polícia ainda destacou que quando José Batistela foi atingido pela pedra, outras três carretas já haviam sido atingidas. Os investigadores acreditam que, além do carro do suspeito, outro veículo de passeio também tenha sido usado para o crime de atirar pedras contra as carretas. Willians e os outros dois homens seriam integrantes da ala mais radical do movimento e não queriam aceitar o fim da greve.