Sem votar projetos, vereadores discutem, gritam e abandonam sessão

"Virou tudo uma questão secundária. A primeira está em derrubar a presidência para atender o interesso do prefeito Flori", diz presidente da Casa.

549

Está disponível no YouTube (íntegra) a conturbada sessão, ou a tentativa de realização da reunião parlamentar, na manhã desta terça-feira, 14 de novembro. O que se viu foram gritos e intermináveis discussões entre os vereadores. A briga pelo poder acabou sendo mais relevante do que a verdadeira função de alguns dos “fiscais do povo”, que sem votarem os projetos que estavam na pauta, deixaram o plenário.

(Clique aqui e veja qual era a pauta desta manhã)

Com a debandada dos vereadores Dhonatan Pagani, Pedrinho Sanches (AVANTE), Sargento Damassa (PROS), Toninho Gonçalves (UNIÃO), Wilson Tabalipa (PV), Zezinho da Diságua (PSD), Zeca da Discolândia (PSD), e Zé Duda (PSB), a sessão foi suspensa por cerca de vinte minutos.

Passado esse tempo, o presidente da Casa de Leis, Samir Ali, encerrou a sessão. Conforme Regimento Interno da Câmara de Vereadores de Vilhena, são necessários sete vereadores para a votação dos projetos.

Além dos vereadores que não ficaram para votar os projetos, estiveram ausentes Clérida Alves (AVANTE) e Nica Cabo João (PSC), ambas alegam problemas de saúde e devem apresentar atestado médico.

Ao final do vídeo, no momento em que encerra a sessão, Samir diz que; “virou tudo uma questão secundária. A primeira está em derrubar a presidência para atender o interesso do prefeito Flori”. 

Abaixo, o vídeo da sessão;