Mercado Livre se torna empresa mais valiosa da América Latina

Com valor de mercado de 60,6 bilhões de dólares, companhia ultrapassa Vale, Petrobras e Itaú Unibanco no ranking das maiores da região

326
Foto: Reprodução

Com valor de mercado de 60,6 bilhões de dólares, companhia ultrapassa Vale, Petrobras e Itaú Unibanco no ranking das maiores da região

Enquanto uns choram, outros vendem lenços. Mas, no caso do Mercado Livre, a varejista online também vende cadeiras, roupas, utensílios domésticos, enfim, uma infinidade de itens para todas as ocasiões. Não é por um acaso, portanto, que em tempos de distanciamento social a companhia tenha se tornado a mais valiosa da América Latina, ultrapassando gigantes como Vale, Petrobras e Itaú Unibanco, de acordo com levantamento da Economatica. O Mercado Livre vale 60,6 bilhões de dólares – mais do que o valor de mercado da Magazine Luiza e da WEG combinados.

No ano, as ações do Mercado Livre, negociadas na Nasdaq, acumulam alta de 108,95%. As informações são da Economatica.

Empresa País Setor Valor de mercado (em US$ bilhões)
Mercado Livre Argentina Comércio online 61,44
Vale Brasil Mineração 59,36
Petrobras Brasil Petróleo e gás 57,54
Itaú Unibanco Brasil Bancos 46,15
WalMart México México Varejo 42,18
America Movil México Telecomunicações 42,12
Ambev Brasil Indústria de bebidas 39,04
Bradesco Brasil Bancos 35,05
XP Brasil Instituições financeiras 27,59
WEG Brasil Indústria de motores 27,42
Magazine Luiza Brasil Varejo 26,03
B3 Brasil Bolsa 24,50
Ecopetrol Colômbia Petróleo e carvão 23,85
GMexico México Mineração 21,50
BTG Pactual Brasil Bancos 20,90
Fomento Econ Mexico México Indústria de bebidas 20,88
Santander Brasil Bancos 20,66
Banco do Brasil Brasil Bancos 18,34
Telefônica Brasil Telecomunicações 16,23
B2W Brasil Varejo online 12,84

 

“Acreditamos que o Mercado Livre terá um trimestre muito mais forte no Brasil do que o esperado inicialmente”, diz o Bradesco, em relatório. As vendas gerais do Meli devem subir 4 bilhões de reais, mais do que outros concorrentes, que devem ganhar de 3 bilhões a 3,5 bilhões de reais a mais nas receitas no trimestre.

A aceleração do comércio eletrônico não é o único impacto positivo da pandemia para a empresa. Consumidores também se voltaram para os meios de pagamento digitais. Por isso, o banco acredita que a divisão Mercado Pago deve ter um trimestre forte na Argentina, país no qual pequenas lojas de bairro intensificaram o uso de meios de pagamento digitais.

O lançamento do PIX, estrutura de pagamentos instantâneos do Banco Central no Brasil, também pode ajudar a companhia. “Agora acreditamos que a oportunidade de uma adoção maior do e-commerce, facilitada pelo PIX, é maior do que o risco de novos entrantes”, diz o banco em relatório.

No primeiro trimestre, o faturamento da companhia cresceu 70,5%, desconsiderando fatores cambiais. No Brasil, que representa 60,9% do total da receita líquida da companhia, a expansão foi de 54,8% em moeda local.

A base de clientes do Mercado Livre também teve aumento de 45% entre o fim de fevereiro e o início de maio em relação o mesmo período de 2019. Apenas no Brasil, o crescimento foi de 2,6 milhões entre novos usuários e clientes que voltaram a fazer compras na plataforma.