725

Em Vilhena, animais silvestres resgatados são devolvidos à natureza; veja imagens

Alimentação, primeiros-socorros e treinamentos são realizados por equipes de especialistas da Prefeitura

No mês de outubro a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), atuou em diversos casos para resgate, cuidado e devolução de animais silvestres encontrados no perímetro urbano. Ao todo as 14 devoluções ocorreram em parcerias com o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), entre outros.

Marcela Almeida, secretária municipal de Meio Ambiente, lembra que a secretaria atua na preservação da fauna local, uma região de transição entre a Floresta Amazônica e o Cerrado, que apresenta espécies de ambos os biomas. “É a primeira vez que esse trabalho é realizado de forma sistemática pela Prefeitura em Vilhena, com o grande apoio dos outros órgãos da cidade. A Semma busca desempenhar seu verdadeiro papel e para isso usamos as habilidades de todos nossos servidores disponíveis, com especialidades em biologia, veterinária, meio ambiente, agronomia e outros”, conta.

Apesar de ser realizado rotineiramente pela secretaria desde julho do ano passado, so resgates, atendimentos de primeiros-socorros, treinamentos e cuidados prolongados tiveram intensificação em outubro, com a soltura de 12 animais e tratamento de outros dois. Dentre os animais devolvidos ao meio ambiente estão répteis, aves e mamíferos como cobras, macaco, jaguatirica, tatu, arara dentre outros.

No início deste mês de novembro, a Semma foi solicitada para a devolução de uma Raposinha do Campo, que havia sido capturada pelos bombeiros. O animal foi liberto em região afastada da cidade, próxima à Lagoa Azul. No último fim de semana um periquitão-maracanã também foi recolhido na avenida Major Amarante, no Centro.

Publicidade


Comum na cidade, o aparecimento de animais peçonhentos mobilizou os servidores Thiago Baldine e Luiz Gustavo na captura de uma cobra-cipó (Drymoluber brazili), encontrada em um ponto comercial no Centro. O réptil havia entrado em um veículo e assustou comerciantes. O animal é originário de áreas do Cerrado e é considerada uma serpente extremamente rara, medindo cerca de 1,3 metro.

Carlos Jiachetto, proprietário do veículo em que a cobra se alojou, agradeceu o apoio da Prefeitura. “Olha, eu estava estacionado, quando me avisaram que a cobra estava no meu carro. Não tinha pra onde correr. Entrei em contato com eles e fiquei feliz em saber que conseguiram retirar o animal sem nenhum ferido e, ao mesmo tempo, preservando a vida da cobra”, concluiu.

Thiago Baldine, assessor da Semma, ressalta a parceria dos órgãos para a soltura dos animais. “Há uma grande cooperação entre os órgãos na captura. Ficamos encarregados da devolução dos animais ao meio ambiente. Procuramos deixá-los bem distantes do perímetro urbano, para que não retornem e, de fato, consigam se readaptar ao ambiente selvagem”, conclui.

Atualmente a Semma cuida também de uma jaguatirica, encontrada pelo Corpo de Bombeiros, e de corujas-de-igreja, que recebem treinamento de caça, vôo e alimentação para serem devolvidas à Natureza com maiores chances de sobrevivência após terem sido resgatadas em uma caixa d’água na zona rural.

 

Fonte: Semcom

Comentários