Contrato da ferrovia de 1.641 km que sai de Goiás e chega até Vilhena será assinado em novembro, garante ministro Tarcísio

Uma extensão de aproximadamente 770 quilômetros entre Vilhena e Porto Velho (RO) está em estudo pelo governo federal

16480
Foto: Só Notícias/Guilherme Araújo

Em visita a Sinop, no Mato Grosso, na última sexta-feira, 18 de setembro, o ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas garantiu que em novembro haverá assinatura do contrato para a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico).

O projeto prevê a construção de 1.641 quilômetros de trilhos. O primeiro percurso entre Mara Rosa e Água Boa, em Goiás, ligando o Vale do Araguaia a Ferrovia Norte Sul, terá cerca de 383 quilômetros. Para um segundo momento, planeja-se a construção de 518 de Água Boa até Lucas do Rio Verde e uma última etapa de 740 quilômetros do norte mato-grossense até Vilhena (RO) acessando portos e escoando da produção para o exterior. O investimento estimado é de R$ 2,73 bilhões e prazo de quatro anos para entrega.

Uma extensão de aproximadamente 770 quilômetros entre Vilhena e Porto Velho (RO) está em estudo pelo governo federal, possibilitando a integração com a Hidrovia do Madeira.

Foto: Reprodução

A Ferrovia de Integração Centro Oeste – FICO (EF-354) é o projeto de uma ferrovia transversal brasileira com aproximadamente 1.641 quilômetros de extensão, em bitola larga, que interligará a Ferrovia Norte-Sul em Mara Rosa até Vilhena para o escoamento da produção de grãos da região Centro Oeste. Esta ferrovia é parte do contexto do projeto da Ferrovia Transoceânica, que busca conectar o litoral atlântico brasileiro ao litoral peruano do Oceano Pacífico. O projeto e construção desta ferrovia está a cargo da VALEC, empresa pública vinculada ao Ministério dos Transportes.

 

Fonte: Com informações do site Só Notícias