Nova tecnologia aprimora records e acirra disputa pela cadeira do rei do tênis no mundo

As máquinas são mais verdadeiras neste esporte do que em outros, como o futebol, onde a percepção do árbitro influencia mais. O tênis ficará mais seguro e justo

432

Cada vez mais a tecnologia faz parte do esporte mundial, não é mais uma exclusividade do Fórmula 1. Hoje temos o VAR (Video Assistant Referee) em vários esportes coletivos, temos tecnologia aplicada até na fabricação de bolas, tacos, chuteiras e muito mais. Porém, no tênis a tecnologia está sendo usada não só para assegurar que um saque foi um ace ou não.

De acordo com uma entrevista publicada pelo site de aposta esportiva online Betway, no tênis uma nova tecnologia vai aprimorar os acertos de pontos dados aos jogadores. A FoxTenn vem substituir o Hawk-Eye.

O Hawk-Eye que por anos ajudou os árbitros no tênis a decidir jogadas difíceis, tinha sua porcentagem de erro no vídeo. No entanto, a FoxTenn oferece 2.500 frames por segundo, enquanto a tecnologia Hawk-Eye oferecia no máximo 150 frames.

Mesmo com a possibilidade de um erro de 3mm nas imagens, o Hawk-Eye deixa o seu legado, ter consolidado a tecnologia nas quadras do tênis.

O ex-tenista Alberto Berasategui disse em entrevista publicada no blog do site de aposta Betway Esportes que a nova tecnologia veio para melhorar, “quanto menos erros, melhor para o tênis e para os jogadores. As máquinas são mais verdadeiras neste esporte do que em outros, como o futebol, onde a percepção do árbitro influencia mais. O tênis ficará mais seguro e justo”, comentou.

Imaginem quantos pontos e quantos sets foram decididos por erros dos árbitros, que tiveram que decidir que uma bola voando a mais de 200km/h caiu dentro ou fora das quatro linhas.

FUTURO

Esses erros parecem que tem seu fim a partir de 2020, quando o FoxTenn está prestes a ser usado em quadra, nos três tipos de piso.

Atualmente três tenistas buscam alcançar o topo e conquistarem a cadeira do rei do tênis. Rafael Nadal (34 anos – Espanhol – 19 Grand Slams), Roger Federer (38 anos – Suíço – 20 Grand Slams) e Novak Djokovic (33 anos – Sérvio – 17 Grand Slams) são os tenistas que estão disputando essa cadeira mundial atualmente.

A história do tênis mundial vive uma época de ouro com essa disputa, mas as maiores chances ficam para Djokovic por já ter 17 Grand Slams e uma idade menor, além de ser especialista nos três tipos de piso do tênis, que lhe dá certa vantagem sobre Nadal e Federer.

Porém, os dois sequer falam em aposentadoria. Eles não querem abrir mão de encerrarem suas carreiras com o maior número de Grand Slams.

A verdade é que agora em 2020 cada ponto será fundamental para cada um desses três. E com a FoxTenn o melhor e mais dedicado será o vencedor, sem erros de arbitragem ou dúvidas.

Outros profissionais que estão gostando muito da nova tecnologia são os árbitros do tênis. Fica evidente que as reclamações dos tenistas contra eles, vão baixar consideravelmente.