Médico de Porto Velho explica tratamento para aumentar defesa do organismo contra o Coronavírus

3520

Pacientes com Coronavírus têm a opção de melhorar a capacidade do organismo em se defender da doença utilizando tratamentos simultâneos ao que vem sendo orientado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Atendendo solicitação de uma entidade beneficente, o nutrólogo Bruno Guimarães desenvolveu um kit de medicamentos que vem sendo ministrado com sucesso, resultando na recuperação dos doentes atendidos.
“Trata-se de uma suplementação para o suporte primário, na primeira fase do Covid-19. Pode ser utilizado de forma simultânea com o tratamento preconizado pelo Ministério da Saúde”, acrescentou.

O médico não utiliza a cloroquina, e sim a quercetina, uma substância encontrada em frutas e vegetais como maçã, cebola ou alcaparras, com grande poder antioxidante e anti-inflamatório. “Associado ao zinco, a quercetina inibe uma protease da parede celular do vírus. Essa protease é usada pelo vírus para entrar no aparelho celular do hospedeiro”, explicou Bruno Guimarães.

Ele prossegue a explicação citando que ao impedir o vírus de entrar nas células, é gerada a capacidade para o organismo se defender. “Não tem nada que mate o vírus. O corpo é que deve reagir. Então podem ser ministrados suplementos para que essa reação aconteça”, detalhou.

Publicidade


Outro medicamente importante é o N-acetil-cisteína, usado como agente antioxidante. “Assim é dado o suporte que o corpo precisa para ter a capacidade de se restaurar no combate à infecção, reequilibrando o organismo”, especificou.

Ele lembrou que nos hospitais de campanha da China foram ministradas megadoses de vitamina C endovenosas nos pacientes, pois é a única via possível, e que há estudos mostrando que a vitamina D, um modulador imune, é eficiente na prevenção do Coronavírus.

“Segundo esses estudos, a taxa de mortalidade é zero em pacientes com 34 nanogramas de vitamina D por decilitro. Eu procuro manter meus pacientes com teor acima de 60. Mas a dosagem é individual, não há nível ideal para ser aplicado a todos. Um estudo alemão mostra que em alguém com alta dosagem de vitamina D, o sintoma é de uma gripe comum em caso de se contrair Coronavírus”, prosseguiu o médico Bruno Guimarães.

Antes de receber pacientes com Covid-19, o nutrólogo tratou pacientes com câncer, oferecendo suporte nutricional oncológico. “Melhorando o estado nutricional do paciente, melhora-se a tolerância à quimioterapia”, destacou.

 

 

FONTE: RONDÔNIA AGORA

Comentários