Jogador registra B.O e diz ter sido vítima de racismo durante partida do Campeonato Rondoniense

Não houve relato de anormalidades na súmula do confronto.

668

Ao final da partida entre Guaporé e União Cacoalense, o atleta Ivanilson da Silva Gabriel, conhecido como Tatuí, foi a 1ª delegacia de Polícia Civil de Rolim de Moura para registrar um boletim de ocorrência de racismo, preconceito e discriminação. O União Cacoalense afirma que seguirá com o processo contra o infrator.

Segundo o registro da delegacia, Tatuí relatou que durante o confronto, ao sair a bola pela linha lateral, o gandula demorou a repor a bola. Nesse momento, ele pediu para que agilizasse. Ainda de acordo com o relato, um homem presente na arquibancada se dirigiu a ele mandando que ele se “calasse e o chamando de preto e crioulo de modo pejorativo”. Na ocorrência ainda é afirmado que o envolvido se identificava como diretor do Guaporé.

A reportagem da Rede Amazônica entrou em contato com o Guaporé que afirmou que se tratava de um dos convidados para assistir o confronto por parte da prefeitura de Rolim de Moura. Já a prefeitura afirma que não efetuou nenhum convite para o duelo.

O decreto da cidade sede do jogo permite um número limitado de pessoas no local.

Com informações do Globo Esporte Rondônia