Estudo indica que brasileiros confiam em influenciadores digitais

276

Os influenciadores digitais são bem conhecidos no Brasil e, recentemente, um estudo realizado pelo Ibope demonstrou que o seguimento desses influencers é comum e importante para a fidelização de clientes em marcas.

O mundo está em permanente mudança e os brasileiros gostam de acompanhar todas as suas tendências.

Rendidos ao mundo dos celulares, os brasileiros aproveitam esse dispositivo em suas vidas sociais, para saberem as principais notícias sobre a legalização dos jogos no país, para acompanhar suas celebridades favoritas ou até mesmo para desenvolverem novas atividades profissionais.

Muitos brasileiros gostam, ainda, de seguir os principais influenciadores digitais, deixando que esses orientem algumas de suas ações.

Alguns estudos internacionais e nacionais têm analisado a forma como o trabalho desses criadores de conteúdos web influencia as atividades e o consumo dos seus visualizadores.
Conheça algumas das conclusões desse estudo recente realizado pelo Ibope no Brasil.

1. Dados do Ibope sobre os influenciadores digitais

Segundo a Ibope, 52% dos internautas no Brasil seguem regularmente os influenciadores digitais, sendo que 50% afirma ainda sentir que este seguimento influencia a compra dos produtos indicados pelos criadores de conteúdo.

Essa forma de comunicação, cada vez mais comum, demonstra que, na atualidade, a mídia social tem uma grande eficácia, na medida em que permite que um meio onde existe um público vasto e variado se conecte com esses carismáticos, inovadores e criativos criadores de conteúdos, gerando novas formas de marketing digital.

Estima-se que mais de 38 milhões de pessoas teriam começado a usar as plataformas das redes sociais apenas entre 2017 e 2019, o que é também demonstrativo do seu crescimento.

2. Quem segue esses influenciadores digitais?

No que se refere aos influenciadores digitais, 60% dos internautas do Norte afirmam segui-los, havendo ainda a mesma alegação por 56% dos internautas nordestinos e de 52% do Sudeste e Centro-Oeste.

A faixa etária desses públicos é diversificada mas, na sua maioria, se encontram entre os 16 e os 24 anos de idade. O segundo e terceiro grupos mais representativos em termos etários são entre os 25 e os 34 anos e entre os 35 e os 54 anos.

Quando questionadas quanto às razões para seguirem os influencers, os brasileiros afirmaram que consideravam suas informações pertinentes, que concordavam com seus argumentos e forma de pensar ou ainda pela forma como esses criadores se dirigem aos interesses do público, criando formas de interação.

Os influenciadores digitais mais seguidos são os que trabalham com o humor, com o entretenimento, com a cultura e com a beleza. Aqui, se integra a sugestão de produtos diversos, incluindo locais para visitar, comidas, maquiagem, roupas e acessórios.

3. Os influencers e as marcas

O papel dos influenciadores na difusão de marcas é bastante grande e é por isso mesmo que, cada vez mais, as marcas estão procurando esse tipo de parcerias.

Os estudos da Ibope demonstram que esse tipo de estratégia pode motivar a fidelização dos clientes às marcas e promover resultados positivos para quem trabalha com negócios online.