Vilhena: troca de tiros entre faccionados atinge mecânico que chegava ao trabalho

8036

Na manhã desta quinta-feira (21), uma guarnição de serviço da Polícia Militar foi acionada pela central de operações para abordar dois indivíduos em atitude suspeita próximo à concessionária Carevel. Os dois suspeitos foram vistos saindo dos fundos da concessionária e correndo. Um deles, já conhecido pela PM por várias passagens pela polícia e pelo sistema prisional.

Os suspeitos seguiram em direção à BR-364, e um deles se abaixou próximo a uma árvore no canteiro, dispensando algo antes de atravessar a rodovia e acessar a Avenida Marechal Rondon, sentido Porto Velho. A guarnição, ciente dos fatos, avistou os elementos próximos à antiga danceteria Terraçus Metropolitan na Avenida Marechal Rondon. No entanto, ao receberem ordem de parada, ambos empreenderam fuga novamente, atravessando a BR-364 em direção ao bairro Jardim América.

A central de operações foi informada sobre os acontecimentos, e outras guarnições foram acionadas para realizar um cerco policial e localizar os suspeitos. Na Avenida Antônio Quintino Gomes, um dos suspeitos foi abordado. Ele alegou que correu porque seu companheiro disse que não poderia ser preso. Ele informou que cumpre pena em regime domiciliar e tem ligações com a facção criminosa intitulada TDR. No entanto, seu comparsa não foi encontrado.

Após a abordagem, a guarnição foi até o local onde o suspeito havia dispensado um objeto. Lá, encontraram uma pistola calibre 9mm modelo TS9 com 5 munições intactas. A pistola estava em pane, com uma munição travada na janela ejetora e outras 4 no carregador.

O indivíduo recebeu voz de prisão e precisou ser algemado para preservar sua integridade física, e dos policiais, e assim evitar uma nova fuga. Próximo ao local da abordagem, havia uma aglomeração de pessoas e um automóvel parado no meio da rua.

Segundo informações, os dois suspeitos estavam em um automóvel modelo Palio de cor cinza, na Avenida Antônio Quintino Gomes. Um terceiro elemento, em uma motoneta biz de cor vermelha, parou na frente do veículo e efetuou disparos em direção ao automóvel. Os suspeitos revidaram os disparos e, em seguida, fugiram a pé pela rua 525, sentido BR-364.

Durante o tiroteio, um mecânico que trabalha na concessionária Carevel, passava pelo local em sua motocicleta. Ele ouviu os tiros e sentiu que havia sido atingido no capacete por um disparo. Por sorte, o projétil perfurou o capacete próximo à boca e saiu pela lateral, sem ferir o trabalhador. Um caminhão da empresa OLLA Telecom também foi atingido por um disparo.

O suspeito abordado alegou que seu comparsa o levava à casa de sua namorada quando um terceiro agente se aproximou e começou a disparar, forçando-os a revidar. No entanto, ele não quis fornecer mais detalhes sobre a identidade de seu comparsa. Ele afirmou que o elemento que efetuou os disparos é parente de um algoz, pertencente a uma facção rival intitulada PCC.

No interior do automóvel utilizado pelos suspeitos, foram encontrados indícios claros de intenção criminosa: um aparelho celular Samsung roxo (modelo não especificado), um colete balístico e uma máscara balaclava.

Investigações conduzidas pela equipe da “Força Tarefa” da Secretaria de Segurança Pública e Defesa da Cidadania (SESDC) revelaram os dois suspeitos estavam próximos ao albergue, com o objetivo de executar um apenado, que seria é associado à facção criminosa PCC.

No entanto, um terceiro elemento, responsável pela “segurança” do apenado, avistou a dupla no automóvel e abriu fogo contra eles, buscando eliminá-los.

O suspeito capturado pela Polícia Militar foi encaminhado para a Unisp.