Vereadores deixam para semana que vem votação sobre “Lockdown”

Prefeito e secretário terão uma semana para prestarem informações sobre o quantidade de leitos de UTI na cidade.

6536

Em sessão extraordinária nesta terça-feira, 30 de junho, os vereadores vilhenenses optaram em segurar por mais uma semana, a alteração do artigo que fala sobre “lockdown” da lei municipal Nº 5900/20 que trata sobre o combate à Covid-19.

O prefeito Eduardo Japonês (PV) enviou à Câmara de Vereadores uma alteração na lei, que hoje prevê, se 80% dos leitos disponíveis para Covid-19 em Vilhena chegarem a ser ocupados, a cidade imediatamente entra em “Lockdown” para tentar se evitar mais contaminações.

A alteração proposta pelo prefeito, que na verdade é apenas uma adequação ao padrão estadual, é que o “Lockdown” aconteça quando 80% dos leitos de UTI disponíveis para Covid-19, sejam ocupados, a cidade pare. Essa alteração traria a rápida eminencia de um fechamento do comercio da cidade, já que atualmente cerca de 5 leitos da UTI COVID estão ocupados.

Pelo menos por sete dias, se o número de 80% de leitos gerais não foram ocupados, o comércio de Vilhena se manterá aberto. Na semana que vem, se a lei for alterada. O que valerá serão o número de leitos de UTI.

Publicidade


NINGUÉM TEM CERTEZA

O vereador Samir Ali (PODEMOS) disse que o projeto de alteração ficará parado na comissão de saúde, enquanto o secretário de saúde, Afonso Emerick, e o prefeito não falarem “a real” e mostrarem quantos leitos efetivamente de UTI a cidade oferece para as pessoas com COVID.

“Está faltando diálogo, não sabemos realmente quantos leitos de UTI temos para o COVID, queremos mais informações sobre isso, para podermos decidir sobre o futuro da cidade em meio a toda essa crise”, justificou Samir.

 

 

Comentários