UTI Neonatal será inaugurada após desmobilização da Central Covid-19, que funciona no prédio da unidade

Governo do Estado já fez vistoria em 2 de maio no local e trabalho para implantação está acontecendo.

1376
TRABALHO DE VÁRIOS ANOS resultará em abertura da UTI Neonatal em breve na cidade, em parceria do Governo do Estado com a Prefeitura de Vilhena

Único prédio público capaz de comportar as mais de 40 mil consultas durante a pandemia e milhares de internações de pacientes com covid-19 em 44 leitos, o complexo construído para abrigar a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal poderá funcionar com sua finalidade inicialmente planejada após a desmobilização da Central de Atendimento à Covid-19. A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) já tem a data de 23 de maio como data final para o funcionamento da imunização no local, a partir de quando a vacinação contra covid-19 acontecerá nos postos de saúde. A completa retirada dos atendimentos de covid-19 do espaço estão previstos para as semanas seguintes.

“No último dia 2 de maio o Governo do Estado esteve no prédio da UTI Neonatal em vistoria técnica para que comecemos a implantação dos equipamentos, profissionais e instalações necessárias. O trabalho para que isso aconteça está em andamento e não é pouco. Inclusive hoje mesmo estou com técnicos da Saúde e com a vice-prefeita Patrícia da Glória em Porto Velho em reunião com a Secretaria de Estado de Saúde para que o Governo ofereça parte da equipe. Em breve abriremos a unidade, logo após encerrarmos as atividades da Central Covid-19, visto que os casos caíram muito com o avanço da vacinação”, explica o secretário municipal de Saúde, José Aparecido.

Para equipar a UTI Neonatal o município recebeu R$ 625 mil em agosto de 2020, para a compra de 4 aparelhos para fototerapia (icterícia), 5 incubadoras estacionárias neonatais, 30 reanimadores pulmonares manuais, 6 réguas de gases para assistência respiratória de parede, 3 monitores multiparâmetros para UTI, 5 ventiladores pulmonares pressiométricos e volumétricos, 3 transiluminadores cutâneos e 3 monitores de pressão intracraniana. Deste total, 93% do valor já foi utilizado e os últimos seis itens ainda não adquiridos estão atualmente em processo de compra.

“Este valor faz parte de uma portaria do Ministério da Saúde de R$ 3 milhões, viabilizada pela deputada federal Mariana Carvalho, a pedido do então vereador Rafael Maziero, e também da Prefeitura. O recurso é destinado para a aquisição de diversos aparelhos e equipamentos para toda a Saúde, e não só para a UTI Neonatal. Deste total já utilizamos 80% e o restante são itens específicos dos quais alguns não havia empresas participantes nas licitações ou eram equipamentos em falta no mercado, mas que temos processos de compra em andamento na busca de adquiri-los. O município trata os recursos públicos com seriedade, pois dinheiro tem e investimento também”, conta o prefeito Eduardo Japonês.

A previsão da Secretaria Municipal de Saúde é que, com a desmobilização da Central de Atendimento à Covid-19 no prédio da UTI Neonatal nas próximas semanas, a UTI Neonatal possa entrar em funcionamento logo. Considerando este cenário, já está programada a transferência da vacinação contra covid-19, que hoje funciona no local, para os postos de saúde a partir de 23 de maio.

Na UTI Neonatal, que funcionará 24 horas, serão necessários pelo menos 25 profissionais, entre médicos pediatras, médicos clínicos gerais, fisioterapeutas, psicólogos, fonoaudiólogos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e nutricionistas. A pedido da Prefeitura de Vilhena, o Governo do Estado já iniciou busca ativa de profissionais destas categorias que estejam no quadro estadual em Vilhena ou nas cidades próximas para que possam ser lotados na UTI Neonatal em apoio ao município, que oferecerá também parte da equipe através de remanejamento de profissionais já atuantes, bem com novas convocações.

HISTÓRICO – A Secretaria Municipal de Saúde relembra o histórico de trabalho conjunto entre a Prefeitura, Justiça do Trabalho, Ministério da Saúde, vereadores, deputados e Governo do Estado para viabilização do espaço, conforme cronograma de trabalho intenso abaixo.

2012 – Agosto
Sentença contra empresa determinando multa trabalhista de R$ 3,8 milhões

2017 – Fevereiro
Acordo homologado pela Justiça do Trabalho para destinar R$ 2,4 milhões da multa para a construção do prédio da UTI Neonatal

2019 – Fevereiro
Prédio é entregue pela Justiça do Trabalho à Prefeitura de Vilhena

Abril – Reunião em Porto Velho com comitiva de prefeito, deputados e vereadores pedindo apoio do Governo do Estado para disponibilização de profissionais à UTI Neonatal

Maio – Visita ao prédio pela deputada federal Mariana Carvalho, Prefeitura solicita recurso

Maio – Secretário municipal de Saúde vai a Brasília e consegue garantia de destinação de recurso junto da deputada, vereador e prefeito

Junho – Finalização da proposta pela Prefeitura com detalhamento de todos os equipamentos a serem comprados

Agosto – Proposta aprovada pelo Ministério da Saúde

Dezembro – Ministério da Saúde empenha o recurso da portaria para pagamento à Prefeitura

2020 -Fevereiro
Início da pandemia de covid-19 e preparativos no prédio da UTI Neonatal para instalação de UTI Covid-19 e ambulatório

Abril – Abertura dos leitos de internação em UTI e Enfermaria para covid-19 no prédio da UTI Neonatal

Agosto – Reuniões da deputada e vereador em Brasília solicitando o depósito do recurso à Prefeitura

Agosto – Pagamento do recurso à Prefeitura pelo Governo Federal

2021 – Feitas as aquisições de equipamentos da Portaria por meio de licitações pela Prefeitura, enquanto consultas de pacientes com suspeita de covid-19 também passam a ser feitas no prédio, num total de 44 mil até o momento

2022 -Março
Diminuição de casos de covid-19 resulta em planejamento para desmobilização da Central Covid-19 e liberação do prédio da UTI Neonatal

Maio – Visita Governo do Estado para vistoria técnica para implantação da UTI Neonatal

Maio – Início da desmobilização do espaço para abertura da UTI Neonatal

 

Semcom