Unir alerta sobre as consequências do Projeto de Lei Orçamentária Anual 2021

A Universidade Federal de Rondônia (Unir) informa a população que há recursos para suprir as necessidades somente até o mês de junho de 2021

192

De acordo com a nota de repúdio publicada pela reitoria da Universidade Federal de Rondônia (Unir), o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) enviado para o Legislativo Federal, já previa um corte de 14, 96% no orçamento referente ao ano de 2020.

Contudo, quando o orçamento foi aprovado em 25 de março de 2021, a redução orçamentária para as universidades se consolidou em 18,16%, impactando vários setores. Alguns deles é a assistência que a Universidade presta a alunos em vulnerabilidade socioeconômica o outro é o custeio destinado a manutenção predial, como a prestação de serviço de limpeza e segurança, pagamento de servidores de água, energia e outros serviços destinados a Universidade.

Segundo a reitoria da Unir, além do corte de 18,16% para 2021 no orçamento, apenas 45% do total previsto para todo o ano está liberado, os 55% restantes estão condicionados a aprovação do Congresso Nacional.

Diante disso, a Universidade Federal de Rondônia informa a população que há recursos para suprir as necessidades somente até o mês de junho de 2021, após isso não há disponibilidade orçamentária para as despesas.

A reitoria da Unir declara que paralisar as atividades da Universidade Federal de Rondônia não é uma opção para a sociedade rondoniense. Isso seria uma punição a população e principalmente aos estudantes futuros profissionais. Por isso é necessário que o Estado revise as prioridades em relação a Educação e libere recursos já previsto para a manutenção das universidades federais.