TJ, após processo, demite servidora acusada de “vender informações sigilosas”

Em 2019, o Poder Judiciário autorizou uma ação de busca e apreensão no gabinete da acusada com decisão de afastamento do cargo

4529
Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) concluiu processo administrativo disciplinar e decidiu pela demissão de uma servidora da comarca de Cerejeiras. Ela foi acusada pelo Ministério Público (MP/RO) de cometer atos de improbidade, advocacia administrativa, violação de sigilo funcional e “comportamento inadequado”. A decisão foi publicada no Diário de Justiça dessa terça-feira, 26 de maio.

A servidora atuava como Técnico Judiciário no Cartório da 1ª Vara da Comarca de Cerejeiras há 15 anos e usou o poder que tinha para ter acesso a dados sigilosos de processos e, segundo o MP, vendeu informações.

Em 2019, o Poder Judiciário autorizou uma ação de busca e apreensão no gabinete da acusada. Ela foi afastada do cargo no início do mesmo ano e, apesar de ter recorrido da decisão, foi mantida afastada da função por determinação do juiz de direito Fabrízio Amorim de Menezes, da 2ª Vara Genérica do município, pelo risco de destruição de provas.

A decisão publica hoje pelo TJ cabe recurso.