Secretário Municipal de Saúde de Vilhena apresenta sintomas de gripe e é isolado: contatos são rastreados

5904

Após sentir sintomas leves semelhantes aos de covid-19 na manhã deste sábado, 16, o secretário municipal de Saúde, Afonso Emerick, foi atendido e examinado por médico. Enquadrado como caso suspeito de ter contaminado o novo coronavírus, o secretário entrou em contato com o prefeito Eduardo Japonês e deliberaram a necessidade de medida preventiva. Dessa forma, o secretário passou a cumprir imediatamente quarentena em sua casa, isolado da família.

A Vigilância Epidemiológica está rastreando todos os contatos do secretário nos últimos dias para orientá-los para que busquem cumprir quarentena também. Na linha de frente do combate à covid-19 no município, Afonso faz parte também do Comitê Gestor Municipal de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus em Vilhena. O secretário continuará desempenhando suas tarefas de forma remota, por meio da internet e de videoconferências, como já é rotina na equipe de Saúde do município.

Afonso optou por divulgar voluntariamente seu estado para que sirva de alerta a todos que puderam ter contato com ele durante os últimos 14 dias, prazo máximo no qual o novo coronavírus demora para se manifestar.

“Estamos em uma batalha intensa, que consome todas as nossas energias, já há mais de 60 dias em Vilhena. Esse trabalho não sofrerá prejuízo pois toda a equipe é extremamente capacitada e continuarei dando as orientações necessárias à distância. Não faltam EPIs na Saúde municipal, mas todos os profissionais de saúde que estão nessa luta sabem que somos um grupo com alta probabilidade de ser contaminado e aceitamos esse risco ao ir para a linha de frente. Agradeço ao grande trabalho que todos têm feito”, conta o secretário.

Publicidade


Dos pouco mais de 200 mil contaminados no país, há 31.790 casos confirmados de covid-19 em profissionais de saúde no Brasil. Os dados são do Ministério da Saúde e dão conta de que, no total, 199.768 profissionais foram identificados como casos suspeitos da doença e precisaram ser afastados. Há ainda 114.301 em investigação e 53.677 descartados.

Fonte: Semcom

Comentários