R$ 16 MIL: Agente federal de Vilhena ganha duas ações contra Azul Linhas Aéreas por atraso em voos

5016

A Azul Linhas Aéreas parece que tem dificuldade em prestar serviços de qualidade ao agente federal Aislan Eduardo Kuzma, pois nesta semana foi condenada pela segunda vez pelo Juizado Especial Cível de Vilhena, por causar danos morais ao servidor Aislan.

Neste processo, Aislan contou que teve um atraso de 38 minutos na saída de voo entre Brasília e Cuiabá, fato que ocorreu em junho de 2018. Esse atraso fez com que ele perdesse o voo entre Cuiabá e Vilhena.

A empresa realocou o agente federal no voo do dia seguinte, oferecendo alimentação e hotel, mas como ele tinha compromissos no dia seguinte, preferiu vir de ônibus até Vilhena.

A empresa ainda foi condenada a pagar mais R$ 270,00 por dano material, valor gasto por Aislan com táxi e passagem de ônibus entre Cuiabá e Vilhena

OUTRA CONDENAÇÃO

No dia 24 de dezembro de 2018, o vilhenense estava no aeroporto de Porto Velho quando foi informado pela Azul Linhas Aéreas que por causa de uma manutenção não programada em uma aeronave, seu voo para Brasília estava sendo cancelado.

Por causa desse cancelamento, Aislan deixou de passar o Natal com seus familiares que o aguardaram no aeroporto de Brasília, onde ele deveria chegar às 17h35. Ele foi realocado em outro voo, que partiu às 02h00 da manhã de Porto Velho, e só chegou em Brasília às 14h00 do dia 25, por causa de outras conexões.

Nessa oportunidade o agente federal também teve seu pedido de indenização deferido pelo magistrado José Giannasi, recebendo R$ 8 mil por danos morais, decisão publicada em abril deste ano. Confira a matéria aqui.

TERCEIRO PROCESSO

Conforme apurado pelo VILHENA NOTÍCIAS o agente federal move uma terceira ação no Juizado Especial Cível, também por danos morais contra a empresa aérea.