Polícia resgata de fazenda mulher que apanhava do marido amarrada em cadeira

Marido foi preso em flagrante e pode responder pelo crime de tortura

35391
Imagem ilustrativa

A polícia resgatou na última semana em uma fazenda da área rural de Chupinguaia, uma mulher de 43 anos que disse ter sido amarrada, agredida e mantida em cárcere privado pelo marido. Os policiais chegaram até a casa depois de uma denúncia anônima, encaminhada ao 3º Batalhão da Polícia Militar.

Segundo a PM, a mulher disse que sofria agressões físicas e verbais e era ameaçada de morte pelo companheiro, 11 anos mais novo.  Uma jovem, filha da vítima, também vivia na casa e teria sido ameaçada de morte pelo padrasto. No B.O., os policiais narram que encontraram a mulher com sinais de violência física.

O agressor foi preso em flagrante e em depoimento à polícia, confirmou que promovia as sessões de tortura contra a companheira. Em um depoimento chocante, a mulher revelou que na sexta-feira (23), data da última agressão, teve as mãos e os pés amarrados em uma cadeira enquanto apanhava com socos no rosto. Ela também era impedida de sair de casa. O companheiro não negou as acusações.

Além do crime de violência doméstica, o homem irá responder por posse ilegal de arma de fogo. De acordo com informações da PM, quatro espingardas e uma garrucha, sem registros, foram apreendidas na casa. A polícia confirmou que também apreendeu muita munição no imóvel. O suspeito pode responder ainda pelo crime de tortura, considerado hediondo pela legislação brasileira. A denúncia foi levada para a Polícia Civil e deve ser encaminhada para a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM).