20905

Peão foi assassinado após acusar líder de facção criminosa de furto, diz polícia

Rogério passava o final de semana com a família em Vilhena. (Foto: arquivo pessoal)

Stefhani de Melo Neves está presa preventivamente acusada de ser a mandante do assassinato de Rogério da Silva Romero, peão morto a tiros no dia 26 de maio deste ano, no bairro Cristo Rei, em Vilhena.  De acordo com o Delegado Regional da Polícia Civil no Cone Sul, Fábio Campos, a mulher encomendou a morte do peão após ter sido acusada por ele, de furto.

Stefhani, hoje com 28 anos, irá responder por homicídio qualificado e associação criminosa. O inquérito sobre o caso será enviado ainda esta semana à Justiça.

A mandante

Com um perfil considerado de alta periculosidade, pela polícia, Stefhani chefiava a célula de uma organização criminosa que atua no tráfico de drogas e roubos de mulheres na cidade de Vilhena. Segundo o delegado Campos, ela teria se irritado com a vítima. Já que no dia do crime, Romero teria acusado ela de ser a autora do furto de uma bicicleta.

Publicidade


Com raiva do peão, ela ligou para dois comparsas que foram até o local e executaram a vítima na rua. Rogério Romero foi assassinado na avenida 1510 quando voltava para casa de parentes. Ele era funcionário da Fazenda Bela Manhã na região de Chupinguaia e estava em Vilhena para passar o final de semana com a família.

Delegado Regional Fábio Henrique Campos. (Foto: Renato Spagnol)

Identidade dos executores ainda é mistério

Polícia Civil mantém aberta a investigação para descobrir a identidade dos dois homens que, a bordo de uma motocicleta, executaram o peão.

“Nos depoimentos ela [Stefhani] jamais relevou os nomes dos executores do crime”, declarou o delegado Fábio Campos, em coletiva de imprensa na manhã de segunda-feira (12).

Vítima buscava refazer a vida

Com um passado de envolvimento com o crime, Rogério Romero deixou o Estado do Mato Grosso e veio para Rondônia para recomeçar a vida. Segundo familiares, ouvidos pela reportagem ainda na data do homicídio, Romero trabalhava em uma fazenda da região de Chupinguaia e estava em Vilhena apenas para passar o final de semana com a família.

Ainda de acordo com informações de um familiar, a vítima tinha passagem por tráfico de drogas no Estado vizinho, mas já tinha quitado sua dívida com a Justiça. Uma irmã de Romero falou com a imprensa e declarou que ele estava trabalhando para reconstruir a vida.

Comentários