Médica responsável por cuidar da saúde pulmonar orienta sobre os cuidados para amenizar os sintomas da baixa umidade do ar

Em entrevista ao Vilhena Notícias, a médica Ingrid Dandara Jeziorny, deu orientações e dicas aos vilhenenses

5744

Com a umidade do ar baixa e as recorrentes queimadas nesta época do ano, não há quem não sinta os efeitos refletindo na saúde. Garganta irritada, tosse seca, dificuldades ao respirar, irritação nos olhos e nariz, esses são umas das reações que essa época seca do ano causa. Para orientar à população vilhenenses durante esse período, a médica Ingrid Dandara Jeziorny, que cuida da saúde pulmonar em Vilhena, conversou com a redação do VILHENA NOTÍCIAS e falou quais as pessoas que devem se atentar e redobrar os cuidados com a saúde nesse momento, e ainda deu algumas dicas para serem aplicadas no dia-a-dia. 

As vias aéreas são uma das partes do nosso corpo mais sensíveis a essas variações climáticas, de acordo com a médica Ingrid Dandara, as queimadas principalmente nesta época do ano, são um problema de saúde pública, pois os produtos tóxicos que são soltos na atmosfera por causa da queimada ficam por um longo período, os efeitos que essa época do ano causa são a longo prazo, o que se torna agravante principalmente  para as pessoas que já tem doenças pré-existentes, como asma, bronquite, rinite e DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), essas pessoas precisam redobrar os cuidados para evitar crises respiratórias. Confira quais são os cuidados indicados. 

Cuidados: 

De acordo com a médica Ingrid Dandara, o ideal é que as pessoas evitem estarem expostas nos horários que é possível observar a fumaça mais “baixa”,  esses horários são, pelo início da manhã, às 06h e no final da tarde 18h, esses períodos muitas pessoas costumam praticar exercícios ao ar livre, o indicado é que nos dias que o ar não estiver agradável por conta das queimadas, evite estar circulando.

Já em casa, os cuidados são, os tapetes e cortinas devem estar sendo limpos duas vezes na semana, evite o uso excessivo do ar condicionado, pois apesar do tempo estar quente e o uso ser inevitável, o uso excessivo deixa ainda mais baixa a umidade do ar. 

Nos cômodos é possível colocar balde de água, toalha úmida, para umidificar o ar. Fazer inalação nas crianças, cuidar com os pelos dos animais de estimação, dar banho neles com frequência, fechar a casa no período em que é notável que a fumaça está mais alastrada e  permanecer usando a máscara, pois além de prevenir contra a covid-19 ajuda a filtrar o ar.

COVID-19 e sintomas das reações a baixa umidade: 

A médica Ingrid Dandara alertou a população sobre uma situação muito frequente nessa época do ano juntamente com a pandemia. De acordo com Ingrid, os sintomas leves da covid-19 são muito semelhantes a reação das queimadas como, nariz escorrendo, tosse, dor de cabeça e por esse motivo muitas pessoas procuram a central com suspeita do coronavírus, se expondo realmente ao vírus ao procurar o hospital ou unidades de saúde. 

A recomendação feita pela médica é que a população tome os cuidados indicados para amenizar as reações das queimadas e da baixa umidade, e que continuem se cuidando contra a covid-19, pois com os cuidados em relação as reações das queimadas sendo tomados, os sintomas serão amenizados evitando que seja confundido com o da covid-19.