JÁ FOI CLIENTE: Vilhenense fala sobre tatuador preso por abuso sexual em Rondonópolis-MT

Tatuador pediu para cliente ficar toda nua.

8172
José André Tavares, conhecido Zezé Tatoo, preso por abuso sexual em Rondonópolis

O vilhenense Wersiley Silva, 29 anos, mudou-se para Rondonópolis-MT, que fica a 900 Km de Vilhena em 2016. Ele recebeu uma proposta de trabalho, e por lá ficou até este ano, quando resolveu retornar.

Nesses quatro anos morando na cidade matogrossense, Wersiley, conta que fez sete tatuagens, e uma delas, foi feita pelo tatuador José André Tavares, conhecido Zezé Tatoo.

Nesta semana o tatuador foi preso por abuso sexual em uma de suas clientes, ao pedir para ela ficar totalmente nua para fazer uma tatuagem em sua coxa e tentar penetrá-la.

Wersiley, que é design gráfico, disse que fez sua tatuagem com Zezé em 2018, “Tatuei apenas uma frase na parte das costelas e gostei do trabalho dele. Ele foi gente boa pelo menos comigo, ele conversou numa boa sem nada suspeito. Falamos de música, tatoo, design gráfico e também de um camaleão que ele tinha”, comentou o vilhenense.

Publicidade


O vilhenense comentou ainda que uma amiga tinha lhe comentado, na época, que ele era meio “tarado” com as mulheres que iam fazer tatuagens lá. Porém, nunca tinha ouvido nada mais grave sobre o tatuador.

ENTENDA O CASO

Zezé Tatoo foi preso após tentar abusar de uma cliente em Rondonópolis. A Polícia Militar foi acionada pelo namorado da vítima que relatou que o suspeito mandou que ela ficasse completamente nua, pois a tatoo seria feita na parte posterior da coxa e, logo depois, ele a tocou nas partes íntimas e em seguida ainda tentou penetrá-la com órgão genital.

O suspeito foi preso e, na casa dele, foram apreendidas armas, munições, drogas além de duas cobras.

Consta no boletim de ocorrência que a vítima tinha agendado um horário no estúdio para fazer uma tatuagem. Ela foi acompanhada pelo namorado. Mas, quando chegaram ao prédio, o tatuador disse que ele não poderia entrar devido às recomendações da saúde no período da pandemia de Covid-19.

Diante disso, o namorado permaneceu do lado de fora do estabelecimento, esperando a namorada. Quando a vítima percebeu que estava sendo abusada, tentou sair do local. No entanto, o tatuador tentou disfarçar e convencê-la a permanecer para confeccionar a referida tatuagem, porém a mulher conseguiu sair correndo da sala.

Diante das informações, a Polícia Militar foi até o endereço do acusado e, após muita resistência do suspeito, os policiais entraram na casa. Fizeram uma revista nas dependências do prédio, encontrando porção análoga a maconha, balanças de precisão, dinheiro trocado, uma espingarda adaptada para calibre 22, munições calibre 22, além de uma arma tipo besta, flechas e uma machadinha.

Também foram encontradas duas espécies de cobra, sendo uma jiboia e uma cobra branca americana denominada “corn snake”. A Polícia Militar Ambiental foi acionada e recolheu os animais.

Ainda segundo a Polícia, câmeras do sistema de segurança do interior do estúdio de tatuagem foram recolhidas para análise pericial. As imagens devem ajudar no processo de investigação dos fatos.

Conversas via aplicativo de mensagens entre vítima e suposto agressor devem ser analisadas pela Polícia Civil. O BO foi registrado pelos crimes de porte ilegal arma de fogo, tráfico ilícito de drogas, estupro e crime contra fauna.

Zezé é muito conhecido pelos seus trabalhos de tatuador. Há 17 anos trabalha na área e há 3 em Rondonópolis. A reportagem do  tentou entrar em contato com o acusado, porém não atendeu as ligações. O espaço se mantém aberto, caso o suspeito ou sua defesa queira se manifestar, dando sua versão dos fatos.

Fonte: Com informações de RDNEWS/Bárbara Sá

Comentários