Governo de RO apresenta quase 15 mil vacinas a menos do total enviado pelo Ministério da Saúde

O governador de Rondônia, Coronel Marcos Rocha, está entre os nove governadores brasileiros investigados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por suspeitas de irregularidades

5320

Um conflito relacionado à quantidade de vacinas recebidas pelo Governo de Rondônia para o combate à pandemia de COVID-19, vem causando duvidas na população que se questionam para onde foram as vacinas que supostamente sobraram na comparação dos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

De acordo com os números apresentados pela Secretaria Estadual de Saúde – SESAU, Rondônia recebeu 213.608 doses de vacinas contra a Covid-19.

O Ministério da Saúde, relata que em seu sistema foram enviadas 228.530 doses para o Estado. Um total de 14.922 na diferença em vacinas que estão apresentado pelo Ministério e o apontado pela SESAU/RO.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, 129.008 doses de vacinas já foram aplicadas em Rondônia.

O governador do estado de Rondônia, Coronel Marcos Rocha, está entre os nove governadores brasileiros investigados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por suspeitas de irregularidades em contratos firmados no combate à pandemia do COVID-19.

Conhecida como “Farra do COVID”, a gastança suspeita do dinheiro público destinado ao enfrentamento da pandemia está na mira das autoridades, que inclusive deflagraram operações com o apoio da Polícia Federal, inclusive em Rondônia.

Figuram ao lado de Marcos Rocha nas suspeitas da PGR, os governadores João Dória (SP), Waldez Goiás (AP), Camilo Santana (CE), Ratinho Júnior (PR), Renato Casagrande (ES), Welington Dias (PI), Fátima Bezerra (RN), Eduardo Leite (RS) e Antônio Denário (RR).

Ainda de acordo com a PGR, esses governadores são suspeitos de utilizarem dinheiro do COVID-19 para investirem em seus projetos políticos na eleição que escolheu os prefeitos e vereadores em 2020.

Na tarde desta segunda-feira (5), a bancada rondoniense no Congresso Nacional realizará uma reunião virtual com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para cobrar mais doses para o Estado, que atualmente vive o pior momento da pandemia.

 

FONTE: JH NOTÍCIAS