Fundação apoia realização de documentário sobre Vilhena e região: pré-estreia exibiu filme e exposição conta bastidores

“Parecis”: curta-metragem presta homenagem e revela riquezas históricas, culturais e naturais do Planalto dos Parecis

608

Estão em exposição na Fundação Cultural de Vilhena (FCV), das 7h às 13h, de segunda a sexta-feira até o dia 16 de julho, os trabalhos que compõem a identidade visual e os bastidores da produção do filme “Parecis”, do produtor e diretor de vídeo Lucas Oliver. Feito com apoio da Lei Aldir Blanc, o curta-metragem começou a ser filmado em abril de 2020 e deve ser divulgado em breve.

O filme, repleto de imagens simbólicas sobre a história, cultura e natureza do Planalto dos Parecis, que engloba o sul de Rondônia e parte do Mato Grosso, valoriza a região e traz à tona elementos formadores da consciência coletiva do rondoniense, especialmente dos vilhenenses. “Ao longo dos 9 meses de produção e filmagens, encontramos muitas espécies magníficas da fauna e flora local. Esse projeto abriu uma janela para conhecermos o desconhecido! E a exposição explora a atmosfera do filme, através de fotografias, telas e artes visuais. Queremos que as pessoas conheçam os detalhes por trás das câmeras e o processo criativo do curta-metragem”, explica Lucas.

Na pré-estreia do filme, realizada na última quinta-feira, estiveram presentes artistas, produtores culturais, cinegrafistas, secretários municipais e vereadores. Para o presidente da FCV, França Silva, iniciativas como essa recobram o orgulho do vilhenense em morar aqui. “A Fundação Cultural tem o papel de apoiar a Cultura local. Esse filme é importantíssimo para que todos conheçam de onde viemos e deem importância para a nossa região, nossa cidade e nosso povo”, garante.

Contemplado em 2020 por edital de incentivo à Cultura da Lei Aldir Blanc, do Governo Federal, “Parecis” fará parte do calendário de atividades culturais da Fundação neste ano, que apoiará diversas ações feitas por pintores, atores, músicos e outros artistas locais. Eduardo Japonês, prefeito de Vilhena, ressalta o propósito da FCV. “Quando ela foi criada há quase 10 anos, essa era a missão dela desde o início: valorizar e incentivar a Cultura local. Por muitos anos isso não aconteceu, mas agora toda a classe artística tem na Fundação uma referência importante para fazer seus projetos acontecerem com qualidade e amplitude”, assegura Japonês.

Mais informações podem ser conseguidas pelo WhatsApp institucional da Fundação Cultural de Vilhena: 3321-1777.

Semcom

CURTA-METRAGEM TEVE 9 meses de filmagem e começou ainda em 2020: exposição mostra detalhes da produção