Empresário Jaime Bagattoli e seu irmão são soltos após pagarem fiança

Empresário e seu irmão devem responder por dano qualificado

15140
Foto: Renato Spagnol

Os empresários Jaime Bagattoli e Orlando Vitorio Bagattoli vão ter que responder na Polícia Federal por ter quebrado um meio fio construído pelo DENIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) na BR-364, à altura do posto de combustível Catarinense, em Vilhena. A obra era para impedir o acesso de veículos, que trafegam no sentido Porto Velho, na avenida Marechal Rondon.

Detidos na manhã desta quinta-feira (11) por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) por destruírem a obra usando marretas, eles foram levados para a Delegacia de Polícia Federal onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante, dos dois. Contudo, eles foram liberados após pagamento de fiança. A polícia não divulgou valores, no entanto, uma fonte do site revelou que cada empresário teria pago cerca de R$ 5 mil para evitar a carceragem da PF.

Por meio de nota, emitida agora à noite, a PF informou que será aberto um inquérito policial para apurar a responsabilidade criminal dos empresários. Eles devem responder por dano qualificado (Art. 163 do Código Penal). A pena pode chegar a 3 anos de detenção e multa.

Orlando pode ser indiciado ainda por praticar vias de fato. Segundo o registro da PRF, ele foi flagrado empurrando e agredindo verbalmente o técnico de infraestrutura e transporte do DNIT, Elianai Silva de Andrade.

Publicidade


Comentários