Diretor do SAAE esclarece dúvidas sobre a Coleta Seletiva Mecanizada em Vilhena

O “Projeto Piloto” da Coleta Seletiva Mecanizada está sendo feito no bairro Jardim Eldorado há quase um mês. Praças e locais que geram grande volume de resíduos já estão recebendo contêineres de coleta.

1040

Rogério Araújo Vieira, diretor do SAAE em Vilhena, esteve na redação do VILHENA NOTÍCIAS para esclarecer algumas dúvidas sobre a Coleta Seletiva  Mecanizada que está sendo

A prefeitura recebeu do Governo Federal uma verba de 2,9 milhões de reais para a instalação de 2.083 contêineres, e R$ 900 mil para o veículo especializado que substituirão as lixeiras convencionais que ficam em frente as residências da cidade. A cada 150 metros de distância haverá um ponto de coleta, onde os moradores devem depositar seus lixos devidamente separados. O sistema é conhecido como Coleta Seletiva Mecanizada.

O “Projeto Piloto” da Coleta Seletiva Mecanizada está sendo feito no bairro Jardim Eldorado há quase um mês, e os moradores estão tendo uma certa dificuldade em aderir a nova coleta de lixo.

Rogério Araújo Vieira, diretor do SAAE em Vilhena, explica como o lixo deve ser separado e descartado

“A Coleta Seletiva Mecanizada já funciona nas grandes cidades do país. Nas primeiras semanas, sentimos que os moradores não aderiram muito ao projeto, mas agora já estão se conscientizando. Antes da implantação dos contêineres, servidores do SAAE estiveram visitando os moradores do bairro Jardim Eldorado para explicar como funciona a coleta, deixando folhetos explicativos e orientando os moradores. Durante essas semanas, alguns moradores deixaram seus lixos nas proximidades dos contêineres, outros continuaram deixando nas lixeiras em frente a sua residência e outros depositaram seu lixos nos contêineres errados. São 3 contêineres: um de resíduos secos, orgânicos e rejeitos. O lixo precisa ser separado para depois ser depositado contêineres corretos. Já foram instalados cerca de 180 contêineres no bairro Jardim Eldorado, locais que são grandes geradores de resíduos e praças”, explica o diretor da autarquia.

ENTENDA COMO DESCARTAR SEUS RESÍDUOS:

  • O contêiner de resíduos secos recicláveis é destinado a papel, plástico, vidro e metais em geral.
  • No contêiner de resíduos compostáveis orgânicos devem ser colocadas cascas de frutas, verduras, ovos, pó de café usados (incluindo filtros), restos de chás (incluindo saquinhos), ervas de chimarrão/tereré, e semelhantes.
  • No último contêiner vão rejeitos diversos como lixo do banheiro, lenços e fraldas descartáveis, alimentos, papéis engordurados e bitucas de cigarro.

O PROJETO

Rogério explica que inicialmente, a cidade foi dividida em quadrantes para receber os contêineres. O primeiro quadrante seria onde ficam os bairros Bodanese, Jardim América, Cidade Verde I, III e III. Porém, em alguns desses bairros estava sendo feita a implantação do sistema de esgoto e implantar os contêineres com os bairros em obras, levaria mais transtornos aos moradores.

“Foi decidido então que o bairro Jardim Eldorado seria ideal para implantarmos o Projeto Piloto da Coleta Seletiva Mecanizada, pois é um bairro bem estruturado e a drenagem de água funciona muito bem. Não achamos justo com moradores de outros bairros que já estavam enfrentando alguns transtornos com as obras do sistema de esgoto, pois é necessário uma adaptação”, declara Rogério.

 

AJUSTES

Rogério enfatiza que por ser um projeto inovador, ainda há muitos desafios pela frente, e alguns ajustes precisaram ser feitos durante o processo de adaptação dos moradores.

“Alguns ajustes precisarão ser feitos até que todos os bairros da cidade sejam beneficiados com a Coleta Seletiva Mecanizada. Os contêineres que temos hoje, atendem somente 40% do município, e com isso já podemos ir conscientizando os moradores. Infelizmente não poderá ser feita a instalação nos bairros que não possuem asfalto e drenagem de água. Os contêineres possuem rodinhas, não são fixos e podem ser danificados e arrastados durante as chuvas. O caminhão que faz a coleta e a limpeza dos contêineres pode ter dificuldades de operar nesses bairros, pois a coleta é 100% mecanizada. Por isso alguns ajustes precisaram ser feitos durante o período de adaptação, tanto para os moradores, como para nós do SAAE”.

IMPLEMENTAÇÃO DOS CONTÊINERES NOS BAIRROS

O diretor do SAAE explica que a distribuição dos contêineres será feita aos poucos, mas pede a colaboração dos moradores para se adaptarem o quanto antes a nova forma de coleta.

“Os contêineres chegarão aos bairros gradativamente e nossos servidores passarão nas residências para explicar aos moradores sobre educação ambiental e a nova forma de coleta. Mas é de extrema importância que os moradores se adequem o quanto antes. Conforme os contêineres forem chegando aos bairros, o coleta manual deixará de passar onde já foi implementada a Coleta Seletiva Mecanizada. Não será permitido que os moradores deixem os lixos nas lixeiras em frente a residência ou em qualquer outro lugar que não seja nos contêineres, por isso pedimos a compreensão de todos, para que possamos ter uma cidade mais limpa e ainda ajudar o meio ambiente”.

LEITURISTAS

Após denúncias de que leituristas estariam subindo com a moto nas calçadas e abrindo a tampa do hidrômetro com o pé, ele explica que algumas vezes essas atitudes são necessárias.

“Buscamos sempre evitar esse tipo de atitude, mas em muitas residências existem cercas de madeira e cachorros perigosos. Há o risco de ser atacado pelo animal, por isso alguns leiturustas não descem das motos, pois ele pode precisar sair às pressas do local para não ser mordido. Quanto abrir o hidrômetro com o pé, também é por questão de segurança, pois muitas vezes existem animais peçonhentos no hidrômetro e o leiturista acaba tendo contato direto com o animal. Mas estamos trabalhando para que possamos resolver esses problemas”, esclarece Rogério.