Câmara rejeita denúncia contra vereadora Vivian Repessold

1960
Vereadora Vivian Repessold. – Foto: Renato Spagnol

A Câmara de Vereadores rejeitou nessa terça-feira, 2 de março, a denúncia apresentada pelo eleitor Bruno César Oliveira Silva contra a vereadora Vivian Repessold (PP). A maioria dos parlamentares votou contra a admissão da denúncia, não sendo alcançado o quórum regimental, para que o processo seguisse. Foram 8 votos contra e 4 abstenções.

A denúncia que pedia a instauração de Comissão Processante, nos termos dos artigos 72 e 73 da Resolução 030 de 2020 (Regimento Interno da Câmara de Vereadores de Vilhena), em razão de supostas práticas de infrações político-administrativas graves cometidas no período de pré-campanha para o atual pleito, foi protocolada na Casa de Leis ontem à tarde. O parlamentar Dhonatan Pagani (PSDB) se absteve. Ele explicou que não houve tempo hábil para ler o processo que tem 200 páginas.

“Tomei essa decisão pois colocaram na minha frente um processo de 200 páginas e pediram para que eu votasse sem ao menos ter tido tempo para ler. Outros vereadores tomaram a mesma decisão. A denúncia foi colocada em pauta sem informar previamente os gabinetes, ninguém recebeu cópia e todos foram pegos de surpresa”, justificou Pagani.

Segundo o denunciante, a professora Vivian Repessold teria usado dois servidores comissionados da Secretaria de Educação do Município de Vilhena para trabalhar em sua campanha pré-eleitoral em 2018.

A denúncia também cita uma possível distribuição irregular de cestas básicas feita no ano passado pelo então secretário de Educação, William Braga. O objetivo seria usar a distribuição de alimentos a famílias carentes para promover o nome da professora Vivian Repessold que na época era pré-candidata a vereadora. Um processo administrativo foi aberto pela prefeitura para apurar o caso.

Pela maioria absoluta dos membros da Casa Legislativa, o processo foi arquivado.

 

Matéria atualizada às 18h30