1836

Câmara coloca em votação gastos de R$ 870 mil com mobília e fachada para novo prédio

Não há uma previsão oficial para que a Câmara abandone o hotel e volte para sua sede própria.

O presidente da Câmara de Vereadores, Ronildo Macedo (PV), colocou na pauta da primeira sessão extraordinária de 2020, a votação do projeto N° 5805/2020, que pede autorização dos demais vereadores para autorizar o gasto de R$ 870 mil para custear a compra de móveis e da instalação da fachada do novo prédio da Câmara.

A sessão extraordinária acontece nesta segunda-feira, 27 de janeiro, às 9h00, ainda na sede provisória do poder legislativo de Vilhena, nas dependências do Hotel Cariman, na avenida Jô Sato.

A obra de reforma e ampliação da Câmara está com 12 meses de atraso. E inicialmente ela previa um gasto de R$ 2,5 milhões, e hoje já chega a R$ 3 milhões.

Se somados os custos dos móveis novos, que não fazem parte do valor da obra, mas sim da “cereja do bolo” da obra, os valores gastos ultrapassam os R$ 3,8 milhões.

Publicidade


Em conversa com pessoas ligadas à administração da Câmara, o VILHENA NOTÍCIAS soube que ainda serão necessários custear mais implementos referentes à obra, como computadores e aparelhos de som novos para o plenário, além de uma extensa rede de cabos para levar internet aos gabinetes dos vereadores e setores administrativos.

Não há uma previsão oficial para que a Câmara abandone o hotel e volte para sua sede própria.

Os vereadores podem rechaçar o projeto para ele ser retirado de pauta, ou ainda, votarem contrários a mais este gasto.

No fim deste último ano, a Câmara de Vilhena devolveu R$ 2,2 milhões dos R$ 10,8 milhões do repasse que recebe anualmente.

Comentários