Briga por WhatsApp pode ter provocado morte de caminhoneiro em Vilhena

Para a polícia, as informações armazenadas no celular da vítima podem ajudar a solucionar o caso.

13496
Vilhena Notícias teve acesso, na noite desta segunda (27), a cinco áudios da suposta discussão entre os caminhoneiros.

A Polícia Civil de Vilhena (RO), investiga a relação entre a morte de um caminhoneiro e uma briga pelo aplicativo WhatsApp. O motorista, Emerson Valdir Mattes, de 44 anos foi morto a tiros nesta segunda-feira (27/01) no pátio do posto de combustíveis Parada Grande, no Parque São Paulo, saída para Cuiabá.

O Vilhena Notícias apurou que um conjunto de ao menos cinco áudios chegaram em poder da polícia e são analisados. São cerca de 2 minutos e 1 segundo de conversa onde foram identificadas trocas de mensagens ofensivas e recentes entre o motorista morto e um caminhoneiro ainda não identificado. As conversas circularam em um grupo de WhatsApp de caminhoneiros. Ainda não há informações do que originou a discussão.

A reportagem teve acesso ao conteúdo por meio de fonte anônima e conseguiu confirmar, junto a outros caminhoneiros, que uma das vozes ouvidas na briga é a do motorista Emerson Valdir.

A polícia segue com as investigações em sigilo e diz que ainda é cedo para assegurar que a motivação do crime foi a discussão pelo aplicativo, mas afirma que as informações armazenadas no celular da vítima podem ajudar a solucionar o caso. A pedido da polícia, os áudios recebidos pela reportagem não serão divulgados.

Publicidade


Foto: Renato Spagnol

Vítima retornava de São Paulo

Emerson Valdir Mattes, conhecido como “Bugalu”, retornava de uma viagem do Estado de São Paulo onde buscou uma carreta. Ao chegar em Vilhena ele parou em uma oficina para consertar o rádio PX do veículo e foi morto. Segundo a perícia, três tiros acertaram o caminhoneiro.

Dois homens, suspeitos do crime, fugiram em um carro.

Comentários