Agente penitenciário mata esposa e cunhada a tiros e comete suicídio durante assinatura de divórcio em RO

Crime aconteceu no fim da manhã desta sexta-feira (10), em Porto Velho. A Delegacia de Homicídios investiga o caso como feminicídio.

5749
Márcia Gava foi assassinada por Antônio Pereira na manhã desta sexta-feira (10). — Foto: Reprodução/Facebook

Um homem, de 68 anos, matou a esposa a tiro durante a assinatura do divórcio em um escritório de advocacia, em Porto Velho. A cunhada da vítima, que estava no local acompanhando a irmã, também foi baleada e morta. Após assassinar as duas, o homem se suicidou com um tiro. O duplo homicídio e o suicídio aconteceram no fim da manhã desta sexta-feira (10). A Delegacia de Homicídios investiga o caso como feminicídio.

Segundo a delegada à frente das investigações, Leisaloma Carvalho, o encontro para assinar o divórcio de forma amigável estava pré-agendado com a esposa, identificada como Márcia Gava, de 38 anos. Porém, conforme Leisaloma, houve uma discussão entre os envolvidos no escritório.

“Ele se virou para pegar um copo com água, sacou a arma e efetuou o disparo primeiro na cunhada e o segundo na esposa dele, que não teve nem reação. Elas foram mortas na frente da mesa dos advogados”, detalhou a delegada.

Duplo homicídio e suicídio aconteceram em um escritório de advogacia de Porto Velho nesta sexta-feira (10).  — Foto: Diêgo Holanda/G1
Duplo homicídio e suicídio aconteceram em um escritório de advogacia de Porto Velho nesta sexta-feira (10). — Foto: Diêgo Holanda/G1

Depois de matar a esposa e a cunhada, identificada como Carmelucia Gava, de 37 anos, o homem se suicidou. A polícia confirmou que ele era agente penitenciário. A Secretaria de Justiça de Rondônia (Sejus) ainda não comentou o caso.

Ainda de acordo com informações iniciais da Polícia Civil, os advogados que presenciaram o assassinato das irmãs correram para o banheiro do estabelecimento após os disparos. Eles não se feriram.

A perícia técnica esteve no local do crime para dar início aos trabalhos de investigação. Os três corpos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML) da capital. Márcia deixa um filho.

Carmelucia Gava, irmã de Márcia Gava, também foi morta no escritório de advocacia em Porto Velho.  — Foto: Reprodução/Facebook
Carmelucia Gava, irmã de Márcia Gava, também foi morta no escritório de advocacia em Porto Velho. — Foto: Reprodução/Facebook

O próximo passo, segundo Leisaloma Carvalho, é ouvir as testemunhas presenciais do crime. A previsão é de que o inquérito do caso fique pronto em 30 dias. “Agora vamos trabalhar nas investigações justamente para poder verificar a dinâmica do ocorrido, as circunstâncias que aconteceram esses fatos”, complementou.

*Reportagem em atualização.