‘Ela Mora Logo Ali’: curta rondoniense ganha 3 Kikitos de ouro no Festival de Gramado

Esta foi a primeira produção de Rondônia que concorreu no Festival de Gramado. Produção venceu como Melhor roteiro, melhor atriz e o Troféu do Júri Popular.

1232

‘Ela Mora Logo Ali’, o primeiro curta-metragem de Rondônia a concorrer o Festival de Cinema de Gramado, ganhou três Kikitos de ouro durante cerimônia realizada na Serra Gaúcha, na noite de sexta-feira (18).

Kikito é o símbolo e prêmio máximo concedido no Festival de Gramado. O nome do troféu, “Kikito”, foi dado pela artesã Elisabeth Rosenfeld, que desenvolveu a peça que era vendida pelos artesão de Gramado como um souvenir, lembrancinha ou presente

Na noite de sexta-feira, o curta Ela Mora Logo Ali, feito por Fabiano Barros e Rafael Rogante, ganhou três Kikitos:

Melhor roteiro;

Melhor atriz (Agrael de Jesus);

e o Troféu do Júri Popular.

O filme conta a história de uma mãe atípica e negra, vendedora ambulante, que tem sua rotina alterada ao conhecer uma jovem leitora em um ônibus.

Uma das maiores dificuldades para a equipe foi o curto período de tempo para elaboração do filme e a falta de investimento público e privado. Segundo a produção, durou cinco dias para que a obra ficasse pronta.

História

O curta-metragem retrata o impacto que a literatura tem na vida de uma família que vive com uma renda mínima e enfrenta diversas dificuldades no dia a dia. A partir do momento em que a vendedora entra em contato com a literatura, ela se abre para novas descobertas e sonhos.

Segundo o diretor Neto Cavalcante, o filme foca na história de uma mãe atípica, ambulante, negra e analfabeta que enxerga na literatura uma forma de mudar sua realidade, uma chave para transformar sua vida.

O curta foi produzido, dirigido e encenado na cidade de Porto Velho, e contou com a participação de uma equipe local.

 

Por G1 RO