Em Corumbiara, adolescente confessa ter sofrido abuso sexual do padrasto e temia que ele fizesse o mesmo com sua irmã

A menor de idade ainda relatou que ele fazia uso de preservativo nos abusos e que comprava pílula do dia seguinte para ela

5252

Na manhã da última quinta-feira (08), uma mulher compareceu a delegacia do município de Cerejeiras para registrar uma queixa contra o ex-marido, segundo a ocorrência, o homem abusou sexualmente da adolescente filha de sua ex-mulher enquanto ainda eram casados. 

A união durou por seis anos, e durante esse tempo o casal morava a princípio no município de Corumbiara, em 2019 se mudaram para Comodoro (MT) porém, diante da separação, a mulher retornou em 2020 para Corumbiara. Em meio aos seis anos de casamento eles tiveram uma filha, atualmente com cinco anos de idade, e após a separação, o homem decidiu pedir a guarda desta filha e ainda propôs dividir os bens materiais que pertencem à ex-mulher.

Ao se deparar com essa situação, a mulher entrou em uma situação de extremo estresse. A filha adolescente indignada ao ver a mãe nervosa declarou: 

“Se eu abrir minha boca, ele vai preso”, interrogada pela mãe sobre a frase, a adolescente permaneceu calada. 

Vendo a garota apresentar comportamentos estranhos, a mãe providenciou uma psicóloga para adolescente, e foi através dos atendimentos que a profissional relatou à mãe que, a garota teria sofrido abusos sexuais de seu ex-marido.

Segundo a confissão da menor de idade, os abusos aconteciam quando a mãe não estava em casa, o homem a ameaçava dizendo que se ela falasse algo para alguém ele mataria sua mãe, e por fim ainda dava dinheiro para que a garota permanecesse quieta. A menor de idade ainda relatou que o homem fazia uso de preservativo nos abusos, e que comprava pílula do dia seguinte.

Com medo do que ele pudesse fazer contra sua mãe, a adolesceu permaneceu por anos quieta, porém, foi apenas com a ameaça do homem ficar com a guarda de sua irmã de cinco anos, que ela tomou coragem para contar a verdade. Segundo a menor de idade, ela temia que o mesmo acontecesse com sua irmã. 

Diante do relato, o boletim de ocorrência foi registrado para o inicio da investigação.