Notícia publicada às 09:32:33 - 03/07/2018 e lida: 247 vezes   
    
  
  
Orçamento repassado do MEC à Unir sofre queda
Dados obtidos pelo portal G1 compara valores repassados pelo Governo Federal à 63 Universidades do país, dados já corrigidos com a inflação.

Orçamento repassado do MEC à Unir sofre queda
Orçamento repassado do MEC à Unir sofre queda
Foto: Divulgação

Por
Vitória Rogério

Dados obtidos do Ministério da Educação (MEC), pelo portal G1 – especial, raio x das federais –, mostra o histórico de repasses do Governo Federal para cada Universidade Federal do país – 63 instituições ao todo.

A pesquisa da importância majoritariamente às despesas – não obrigatórias – a sofrerem cortes ou não, levando em conta que o Governo não tem a obrigatoriedade – dentro da lei- de efetuar os repasses.

Desde de 2008, a Unir, aumentou o número de sete para oito campi e criou dezoito novos cursos. Mas, em 2017, os valores repassados pelo MEC à instituição, teve 27% de perdas reais no comparativo ao ano de 2013.  Por estes motivos, a Unir, se empenha na conclusão das obras que estão em andamento e demandou R$ 25 milhões para o término dos serviços. Em nota enviada ao G1, a Universidade diz que haverá cortes em outras áreas para economizar. Confira!

Segundo informações mais recentes do senso da Educação superior, a Unir, única universidade pública do Estado, fundada em 1982, tinha 9.751 ao total de matriculas de graduação no ano de 2016.

Cortes:

  • Restrição de compra de passagens, "principalmente para a apresentação de trabalhos acadêmicos de docentes".
  • Congelamento do valor das bolsas de auxílio a estudantes.
  • Redimensionamento de contratos.
  • Paralisação de reformas em prédios.
  • Paralisação da compra de equipamentos para grupos de pesquisas e laboratórios didáticos.

 

 

FONTE: Com informações do G1

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.