Notícia publicada às 09:00:19 - 29/06/2018 e lida: 252 vezes   
    
  
  
Taxa de desemprego fica em 12,7% em maio e atinge 13,2 milhões de pessoas
Índice recua frente a maio de 2017 e mostra estabilidade frente ao período de três meses encerrado em fevereiro

Taxa de desemprego fica em 12,7% em maio e atinge 13,2 milhões de pessoas
Taxa de desemprego fica em 12,7% em maio e atinge 13,2 milhões de pessoas
Foto: Reprodução

Por
Redação

Graças a um aumento do trabalho informal, a taxa de desemprego ficou em 12,7% em maio, atingindo 13,2 milhões de pessoas, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad Contínua) do IBGE divulgada nesta sexta-feira. Há um ano, a taxa era de 13,3%, e o número de desocupados chegava a 13,7 milhões. As condições ainda difíceis do mercado de trabalho têm contribuído para a piora nas previsões para o crescimento da economia brasileira.

No período de três meses encerrado em fevereiro, que serve como base de comparação para a taxa trimestral de maio, o desemprego estava em 12,6%, atingindo 13,1 milhões de trabalhadores.

A população desempregada, ao atingir 13,2 milhões de pessoas, também ficou estável em relação ao trimestre encerrado em fevereiro, e caiu 3,9% em relação a um ano atrás, quando 13,8 milhões de pessoas buscavam uma vaga. A populacão empregada somou 90,9 milhões de pessoas - estabilidade em relação a fevereiro e aumento de 1,3% ou mais 1,2 milhão de pessoas na comparação com o trimestre encerrado em maio do ano passado.

Os dados mostraram queda do número de empregos com carteira de trabalho tanto frente a maio do ano passado - 1,5% ou 483 mil pessoas - quanto em relação ao trimestre imediatamente anterior - de 1,1%, ou 351 mil pessoas. Por outro lado, avançou o contingente de trabalhadores sem carteira assinada: alta de 5,7% em relação a maio de 2017 - 597 mil pessoas a mais - e 2,9% frente ao trimestre anterior.

Entre as atividades, só o grupo de trabalhadores da administracão pública cresceu (2,7%) no trimestre encerrado em maio, em relação aos três meses encerrados em fevereiro. O mesmo ocorre na comparação com maio do ano passado, quando esse grupo teve adição de 3,4% de ocupados, acrescido do grupo que trabalha em outros serviços, que também cresceu, 7,4%.

Estabilidade no rendimento

O rendimento médio habitual mensal, estimado em R$ 2.187, ficou estável nas duas comparações, assim como a massa de rendimentos, que representa a soma dos ganhos de todos os trabalhadores, e que foi estimada em R$ 193,9 bilhões em maio.

Na semana passada, o Ministério do Trabalho divulgou os dados referentes ao mercado de trabalho formal em maio. Foram criadas 33.659 vagas. Foi o quinto resultado positivo consecutivo em 2018.

 

 

FONTE: O Globo

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.