Notícia publicada às 08:59:06 - 06/06/2018 e lida: 1071 vezes   
    
  
  
Acusados de matar Jéssica Hernandes serão julgados em agosto
São acusados de feminicídio

Acusados de matar Jéssica Hernandes serão julgados em agosto
Acusados de matar Jéssica Hernandes serão julgados em agosto
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Por
Redação

Nessa semana o Juiz de Direito Fabrízio Amorim de Menezes designou para o dia 22 de agosto próximo, a sessão que irá julgar através do tribunal do júri, os primos Ismael José da Silva e Diego de Sá Parente por homicídio qualificado, com quatro qualificações: motivo fútil, meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio. Eles são acusados pelo Ministério Público (MP/RO) de matar a adolescente de 17 anos, Jéssica Moreira Hernandes, em abril de 2017 na cidade de Cerejeiras. O julgamento tem início às 8h30 no Fórum Criminal daquela comarca.

Morta com 13 facadas, o corpo da menor foi encontrado cinco dias depois do crime em uma estrada na área rural do município.

 

Reviravolta no caso

Em setembro de 2017, cinco meses depois do crime, Ismael que era namorada da vítima, foi absolvido pelo juiz de primeira instância Jaires Taves Barreto da 2º Vara Criminal da Comarca de Cerejeiras. Ele absolveu Ismael da acusação de ter assassinado a namorada  e determinou naquele julgamento que Diego de Sá Parente fosse levado a júri popular. Após essa decisão o promotor Marcus Alexandre recorreu e pediu que o namorado da vítima também fosse levado ao banco dos réus.

Em março deste ano o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) acatou em parte o recurso apresentado pelo promotor de Justiça Marcus Alexandre e decidiu que Ismael, namorado da vítima, também fosse submetido a júri popular, assim como o outro réu do caso, Diego.

>> REVIRAVOLTA NO CASO JÉSSICA: TJ acata recurso do MP e Ismael será levado a júri popular por morte da namorada

Ainda em março a defesa de Ismael afirmou “que não existem indícios, da presença do cliente no local do crime”. Para a causídica Shara Eugênio de Souza, o “Dr.º Marcos Alexandre desde o início comprou a ideia do delegado e manteve, mesmo diante das provas que estão nos autos, de que meu cliente não esteve no local. [Delegado] Foi parcial desde início”, explicou a advogada.

 

Leia também

Feminicídio: caso de Jéssica Hernandes

EXCLUSIVO: mensagens de WhatsApp mostram que Diego atraiu Jéssica Hernandes até local do assassinato

 

 

FONTE: VILHENA NOTÍCIAS

 

 


 



 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.