Notícia publicada às 15:56:07 - 31/05/2018 e lida: 972 vezes   
    
  
  
Cristo Rei ouviu Japonês em grande comício com lideranças
O comício foi palco de apresentação de propostas

Cristo Rei ouviu Japonês em grande comício com lideranças
Cristo Rei ouviu Japonês em grande comício com lideranças
Foto: Divulgação/Assessoria

Por
Redação

Centenas de pessoas se aglomeraram em frente à grande estrutura do primeiro comício de Eduardo Japonês (PV) e Maria José da Farmácia (PSDB) na noite de ontem no Cristo Rei. Unidos com o grupo, também discursaram os seis vereadores da base, o prefeito interino, o deputado estadual Luizinho Goebel e lideranças do bairro.

Em meio à uma das revelações mais críticas da história da política de Vilhena, com imagens sugerindo a compra de votos e um boicote na Saúde, o comício foi palco de apresentação de propostas, histórias dos oradores com os candidatos e denúncias baseadas nos fatos apresentados pela mídia.

“Porque as coisas dão certo para nós e não para eles?”, questionou o advogado de Japonês, Newton Schramm. “Porque nós temos um cliente muito fácil de trabalhar. Porque nós trabalhamos com a verdade. Não é mérito nosso que o candidato está com seu registro aprovado; é mérito dele mesmo, que fez a lição de casa e não tem problemas na Justiça”.

Eduardo Japonês falou das propostas que vai tornar realidade no Cristo Rei como Prefeito de Vilhena. “Vamos dar cursos gratuitos para os jovens do bairro poderem ocupar seu tempo e conseguir um emprego logo cedo, no comércio ou como estagiários na Prefeitura. Aqui já tem 5 quilômetros de asfalto que estão liberados há vários anos. Eu vou fazer. Esse não é meu. Mas eu vou fazer o meu também! Vamos iluminar o bairro com lâmpadas de grande porte, construir uma praça com barracão de feira em cima do buracão da Curitiba, que continua sem solução.”, garantiu.

 

 

FONTE: Coligação “Trabalho, respeito e verdade já!”

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.