Notícia publicada às 10:24:26 - 15/03/2018 e lida: 735 vezes   
    
  
  
Ameaçar com Macumba é crime, decide STJ
Devemos ficar atentos a isso, pois somos amparados por lei.

Ameaçar com Macumba é crime, decide STJ
Ameaçar com Macumba é crime, decide STJ
Foto: Reprodução

Por
Redação

É isso mesmo que você leu no título do artigo, usar de forças espirituais para obrigar uma pessoa dar dinheiro, mediante força ou não, se caracteriza como extorsão. Digo isso embasado na decisão unanime da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça ao negar recurso de uma mulher condenada por estelionato. Compartilharei com vocês de um trecho do artigo do site PortaldoHolanda.com.br, deixarei no final do artigo um link pro artigo original.

" De acordo com o processo, no caso, que aconteceu em São Paulo, a vítima contratou a acusada para fazer trabalhos espirituais de cura. A ré teria induzido a vítima a erro e, por meio de atos de curandeirismo, obtido vantagens financeiras de mais de R$ 15 mil. Tempos depois, quando a vítima se recusou a dar mais dinheiro, a mulher teria começado a ameaçá-la. Consta na denúncia que a acusada pediu R$ 32 mil para desfazer "alguma coisa enterrada no cemitério" contra seus filhos. A ré foi condenada a seis anos e 24 dias de prisão em regime semiaberto".

Nas palavras do ministro, "A ameaça de mal espiritual, em razão da garantia de liberdade religiosa, não pode ser considerada inidônea ou inacreditável. Para a vítima e boa parte do povo brasileiro, existe a crença na existência de forças sobrenaturais, manifestada em doutrinas e rituais próprios, não havendo falar que são fantasiosas e que nenhuma força possuem para constranger o homem médio. Os meios empregados foram idôneos, tanto que ensejaram a intimidação da vítima, a consumação e o exaurimento da extorsão".

Transmito esses textos para vocês porque é uma prática comum dentro da nossa religião, o ato reparável por meios espirituais. Afirmo que tais práticas são uma constante na religião e são éticas, visto que realmente cremos em forças espirituais contrárias e que se utilizam de subterfúgios perversos para constranger seus religiosos; apoio, também, a cobrança por parte do sacerdote, desde que esse seja revertido para a comunidade e em sobrevivência substancial. Já que o sacerdotismo não se caracteriza como profissão. Devemos, então, fugir de pais e mães de santo que só visam o lucro e procuram rancar dinheiro a todo custo das pessoas. Devemos ficar atentos a isso, pois somos amparados por lei. Só lembrando, o caso apresentado muito distante está da nossa realidade nos terreiros onde cobram-se trabalhos espirituais. Extorsão está além disso, mas enfatizo que em nenhum caso deve-se haver promessa de um bem vindouro.

 

 

 

 

FONTE: Umbanda Explica

 

 


 



 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.