Notícia publicada às 15:34:27 - 07/03/2018 e lida: 240 vezes   
    
  
  
Indea e Idaron realizam atualização cadastral de propriedades na divisa de Comodoro e Vilhena
O levantamento será importante para delimitar as propriedades mato-grossenses que poderão integrar a zona livre de febre aftosa sem vacinação

Indea e Idaron realizam atualização cadastral de propriedades na divisa de Comodoro e Vilhena
Indea e Idaron realizam atualização cadastral de propriedades na divisa de Comodoro e Vilhena
Foto: Rede Amazônica/ Reprodução

Por
Redação

Aproximadamente 150 propriedades rurais localizadas em Comodoro na região limítrofe com Vilhena, passarão por atualização cadastral, entre 07 e 17 de março. O levantamento será importante para delimitar as propriedades mato-grossenses que poderão integrar a zona livre de febre aftosa sem vacinação, em maio de 2019, junto com os estados do Bloco I, Rondônia e Acre. A ação conta com o apoio da Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso (SFA-MT) e da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron).

Para a realização desse trabalho foram designadas quatro equipes compostas por médicos veterinários do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) e assistentes fiscais da Idaron. O objetivo é conhecer essas propriedades, fazer um levantamento das vias de acesso, trânsito animal na região e barreiras naturais como rios, reservas ambientais e serras.

O trabalho vai além da atualização cadastral. As equipes do serviço veterinário oficial ainda realizarão vigilância veterinária e educação sanitária, buscando orientar os produtores quanto às mudanças com a retirada da vacinação, e a importância do papel do produtor para a defesa sanitária, e ainda estreitar laços entre produtor e sistema de defesa, compreendendo o seu papel como parceiro da cadeia produtiva.

O resultado desse estudo deve ser apresentado para a Equipe Gestora Estadual do Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) e ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Mato Grosso integra o Bloco V em que a última vacinação deve ocorrer em maio de 2021. No entanto, algumas propriedades com produção de bovinos nos municípios de Rondolândia, Colniza, Aripuanã, Comodoro e Juína, poderão ser incluídas como zona livre de febre aftosa sem vacinação, em 2019, por manterem relação comercial dependente dos estados do Bloco I, além da difícil ligação geográfica dos municípios e propriedades com outras áreas de Mato Grosso.

Por isso a importância desse levantamento, que busca minimizar os impactos das mudanças que virão com a retirada da vacinação, para não inviabilizar o desenvolvimento econômico nessas regiões. Pois assim que o Bloco I deixar de vacinar o seu rebanho, Rondônia e Acre não poderão receber animais susceptíveis vacinados de Mato Grosso e seus produtos in natura.

Blocos

O Plano Estratégico de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) prevê a retirada total da vacinação no país até 2023. Os estados foram divididos em cinco blocos pecuários para que seja feita a transição de área livre da aftosa com vacinação para sem vacinação. Integram o Bloco I, Acre e Rondônia; o Bloco II: Amazonas, Amapá, Pará e Roraima; o Bloco III: Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte; Bloco IV: Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Sergipe e Tocantins, e; Bloco V: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

 

 

FONTE: Folhamax.com.br

 

 


 



 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.