Notícia publicada às 13:37:11 - 14/02/2018 e lida: 4663 vezes   
    
  
  
Vilhenenses dão sua opinião sobre a liberação da maconha
Porte para consumo está em análise do STF.

Vilhenenses dão sua opinião sobre a liberação da maconha
Vilhenenses dão sua opinião sobre a liberação da maconha
Foto: Arquivo Pessoal

Por
Redação

O assunto é polêmico e rende debates em todos os pontos do mundo. Pessoas contra, a favor e mesmo aqueles que não têm opinião formada sobre o assunto, argumentam sobre tal. Descriminalizar eou Legalizar vai reduzir a violência associada às drogas, ao tráfico? A descriminalização é um processo normal e incluso no pacote de “modernização” mundial?

Alguns países já legalizaram a erva e colocaram o controle da produção e venda nas mãos do Estado. Na América do Sul, o Uruguai, país vizinho ao Brasil a Cannabis sativa, foi liberada no final de 2013. No Brasil o Superior Tribunal Federal discute a descriminalização do porte para consumo.

Em busca da opinião do internauta, o Vilhena Notícias ouviu “os dois lados” e traz em uma matéria isenta, o conceito de quem faz uso e se diz favorável à descriminalização e também o lado de quem se opõe ao fato.

Bruno Lindemann, 23 anos, tatuador na cidade de Vilhena, mostrou personalidade forte e não teve medo de dizer o que pensa. “Acho que as vezes muitos tentam encobrir os benefícios da maconha só por um pensamento conservador que foi passado por pessoas que nem se deram o trabalho de pensar sobre o assunto. Acho que hoje em dia a maconha poderia ser usada para ajudar muitas pessoas, mas, por pura ignorância de muitos, infelizmente isso não acontece”, disse Lindemann, referindo-se ao uso medicinal da erva.

O profissional disse ser a favor da liberação da maconha. “Sou a favor com certeza e ainda acredito, mesmo que leve algum tempo, na descriminalização e liberação da erva”.

A cabeleireira Gislaine Heglis Moreira de Sousa, 30 anos, não vê na descriminalização pontos favoráveis para a diminuição do tráfico e da violência. “Descriminalizar irá abrir um caminho sem volta para o comércio de outras drogas que estão ligadas à maconha. Eu acho que a erva, assim como álcool e até alguns remédios são porta de entrada para drogas fortes. Sou contra essa liberação. O uso medicinal é outra questão e até sou a favor”, disse a profissional liberal.

Caroline Castro, 33 anos, acredita nos benefícios da descriminalização. “Com um comércio efetivo e regulamentado para a comercialização de psicotrópicos, não somente a maconha, talvez, apenas primeiramente, iríamos criar um produto, movimentar o comércio e diminuir o poder do tráfico.

Dando sequência em sua fala, Caroline argumenta. “Acho que não existe tanta criminalidade associada a maconha especificamente. Eu acredito que diminuiria o poder do tráfico e giraria a economia”, apontou. 

Vilhenenses dão sua opinião sobre a liberação da maconha

Bruno: Acho que as vezes muitos tentam encobrir os benefícios da maconha só por um pensamento conservador.

Vilhenenses dão sua opinião sobre a liberação da maconha

Caroline: Acho que não existe tanta criminalidade associada a maconha especificamente.

Vilhenenses dão sua opinião sobre a liberação da maconha

Gislaine: Descriminalizar irá abrir um caminho sem volta para o comércio de outras drogas que estão ligadas à maconha.

 

FONTE: Vilhena Notícias

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.